Compartilhe esta notícia!

ARNON GOMES – ARAÇATUBA

A quarentena, no Estado de São Paulo, completa dois meses neste domingo. Paralelamente, é o início de uma semana bastante aguardada por causa da proximidade do término desse período. A última prorrogação da medida, adotada para conter o avanço do novo coronavírus, foi feita até 31 de maio, ou seja, domingo que vem.

A expectativa, em diversos setores da economia, é por uma flexibilização das medidas de isolamento social a fim de que comércio e demais serviços possam retomar suas atividades. No entanto, de acordo com o Palácio dos Bandeirantes, a flexibilização das regras da quarentena foi condicionada à queda na curva de contaminação, testagem massiva de pessoas, alta taxa de isolamento social e disponibilidade de leitos no sistema de saúde.

Esses números, no entanto, estão difíceis de serem atingidos, conforme estatísticas atualizadas até a tarde de ontem no site do governo paulista. Em todo o Estado, o isolamento está em 48% – a meta da gestão de João Doria (PSDB) é chegar a 70%. Em nível regional, o indicativo é ainda pior. Na Região de Araçatuba, até 21 de maio, estava em 39%, taxa bem inferior à registrada em 24 de março, quando começou a quarentena. Na ocasião, estava em 39%.

Já a quantidade de casos no território paulista chega a 80.558 e a de óbitos, 6.045, a maior de todo o Brasil. Levantamento divulgado esta semana pelo governo estadual mostrou que, em abril, o crescimento da doença foi quatro vezes maior no interior e no litoral do que na Região Metropolitana de São Paulo. De 1º a 30 de abril, o número de infectados subiu 3.302% no interior, enquanto na capital e nos municípios vizinhos, 770%.

Já em maio, o ritmo de crescimento dos casos em todas as regiões do interior e do litoral superou a Região Metropolitana. Na Região de Araçatuba, por exemplo, de 30 de abril a 18 de maio, por exemplo, o crescimento foi de 138% – na RMSP, 108%. O “consolo” para a região foi o fato de, em todo o território paulista, ter registrado o segundo menor crescimento.

 

PRESSÃO

Diante de todo esse cenário, o mês foi marcado por intensa pressão de diversos setores da atividade econômica pela volta ao trabalho.

Beneficiadas por decreto do presidente Jair Bolsonaro que, no último dia 8, incluiu academias de ginástica, salões de beleza e barbearia no rol dos serviços essenciais à população, estabelecimentos desses ramos de atividade em Araçatuba conseguiram, na Justiça, na última semana, o direito à reabertura dos serviços.

Proprietários desses estabelecimentos recorreram à Justiça porque, em decreto, Doria havia desautorizado a retomada dessas atividades.

A expectativa pelo anúncio da flexibilização tem relação com o agravamento do que muita gente já classifica como “caos econômico” provocado pela pandemia. Tudo por causa da queda de renda e do desemprego, mesmo com auxílio emergencial do governo federal.

QUESTIONAMENTO

Em Araçatuba, na sessão virtual de amanhã, a Câmara Municipal vota requerimento de autoria do vereador Lucas Zanatta (PV) que cobra explicações da gestão do prefeito Dilador Borges (PSDB) sobre medidas de socorro a empresas da cidade que estão há dois meses com as portas fechadas em virtude das medidas de isolamento social. O representante do Partido Verde pergunta à administração municipal se há pesquisas ou estudos que quantifiquem o número de empresas que fecharam suas portas em Araçatuba, após a segunda quinzena de março deste ano. Em seguida, questiona se existem dados a respeito de pessoas que ficaram desempregadas no município com a restrição de diversas atividades no mesmo período.

Ele quer saber também quantos autônomos foram atingidos por esta crise. Por fim, pede para a Prefeitura relacionar quais as ações de fomento para amenizar o desemprego na cidade.

Ação rotariana distribui máscaras e conscientiza população

Na última sexta-feira, o Rotary Club Araçatuba distribui várias máscaras à população no Terminal Rodoviário Urbano, no centro da cidade.

Os itens foram adquiridos pela própria instituição. Durante a entrega, os rotarianos distribuíram também folhetos com orientação para que as pessoas usem máscaras, lavem as mãos e usem álcool em gel, estas as principais medidas de prevenção contra covid-19 dadas pelas autoridades sanitárias.

Com histórico de luta contra diversas doenças no mundo todo, o Rotary tem desempenhado várias ações de combate ao novo coronavírus desde o início da pandemia.

 

 


Compartilhe esta notícia!