Compartilhe esta notícia!

A Polícia Civil de Valparaíso e o Deic (Divisão de Investigações Criminais) de Araçatuba realizaram uma grande operação, denominada ‘Bala de Prata’, nessa sexta-feira (15), para desarticular membros de uma facção criminosa responsável por crimes contra a vida na região. Ao todo, sete pessoas estão presas e 26 mandados de buscas foram cumpridos.

As investigações começaram há cerca de quatro meses após o assassinato do jovem José Ronaldo da Silva, de 19 anos, em dezembro do ano passado. A partir de então, a polícia descobriu uma organização bastante estruturada com o objetivo de conseguir recuperar territórios para a realização do tráfico de drogas e vingar a morte de outros integrantes assassinados nos últimos anos.

Aproximadamente 70 policiais civis com a utilização de 18 viaturas deram cumprimento aos mandados em Valparaíso e Guararapes. Alguns dos investigados já se encontravam detidos na cadeia pública de Penápolis e no CDP (Centro de Detenção Provisória) de Lavínia. O líder da organização criminosa continuava foragido até o fechamento dessa edição.

Durante os trabalhos, os agentes conseguiram prender dois homens em residências. Eles tinham anotações do tráfico de entorpecentes, algumas porções de cocaína, pinos vazios e celulares. Ambos foram levados até a delegacia de Valparaíso, onde prestaram depoimento e permaneceram à disposição da Justiça.

DISPUTA

Segundo informações do delegado de Valparaíso, José Abonizio, as investigações mostraram que a facção criminosa perseguia rivais na tentativa de conseguir territórios do crime e vingar a morte de outros integrantes. Quatro ocorrências de homicídio e tentativas de homicídio teriam acontecido recentemente em Araçatuba, Valparaíso e Pereira Barreto.

“Havia uma organização toda estruturada que visava tomar conta do território do rival. Para isso, eles cometeram esse primeiro homicídio, após essa vítima desdenhar das ameaças feitas pelo líder da organização”.

SANTA CASA

Uma das tentativas de homicídio ocorreu dentro da Santa Casa de Araçatuba em janeiro deste ano. Dois criminosos invadiram a unidade hospitalar e tentaram executar o paciente, de 29 anos, que se recuperava de outra tentativa de assassinato dias antes em Valparaíso. Na ocasião, o homem foi baleado na perna, passou por cirurgia e assinou a alta hospitalar.

Depois disso, segundo a polícia, ele se mudou para Pereira Barreto, onde novamente sofreu um atentado e foi baleado de raspão.

“Eles foram perseguindo outros membros da organização, como aqui em Valparaíso, invadindo a Santa Casa de Araçatuba e quando se refugiou em Pereira Barreto”, complementou o delegado.

Duas fases da operação ‘Bala de Prata’ já foram executadas. Na semana passada, a polícia prendeu três homens suspeitos de terem participação no assassinato de José Ronaldo. A partir de agora, as investigações vão continuar com os elementos provenientes das diligências de ontem.


Compartilhe esta notícia!