Compartilhe esta notícia!

Uma cidade enlutada, incrédula e com sentimento de revolta. Assim amanheceu Nova Independência nessa segunda-feira (27) depois do atropelamento proposital de 17 pessoas que participavam de uma festa de aniversário em um bar da cidade. Duas delas não resistiram aos ferimentos e morreram. Outras duas continuavam internadas, uma na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) em estado grave. A pergunta que todos se faziam era a mesma: por quê tamanha violência e brutalidade?

Foram horas angustiantes para os quase quatro mil moradores da pacata cidade na região de Andradina. A diversão terminou em terror, medo e desespero. Mais de cem pessoas participavam da festa de aniversário do dono do bar. Era um evento tão organizado que tinha até alvará. Uma das ruas foi fechada para o público, que pôde curtir até show ao vivo.

Passava das nove horas da noite de domingo (26) quando a tragédia começou. Segundo informações da Polícia Militar, o mecânico Paulo Alves da Silva, 48, estava com a companheira na festa. Em determinado momento, ele pegou uma mesa e a jogou para cima. O objeto atingiu as costas de uma mulher que segurava uma criança no colo. Foi o estopim para uma discussão generalizada.

Os participantes do evento tiraram satisfações com o autor do motivo pelo que havia acabado de fazer. Teve bate-boca e agressões mútuas. Ele chegou a empurrar a mulher atingida pela mesa, que caiu no asfalto, sofrendo algumas escoriações. Depois da confusão, o suspeito e a convivente foram embora. Ninguém poderia imaginar o que estava prestes a acontecer.

Após andar cerca de 150 metros, Silva entrou em sua caminhonete S-10. Ele deu partida, acelerou e jogou o veículo contra as pessoas que ali estavam. Testemunhas contaram à reportagem que ele chegou a atingir 60 quilômetros por hora. Ao todo, 17 pessoas foram atingidas. Outras tantas conseguiram se desvencilhar, mas por muito pouco também não foram atropeladas.

O cenário se transformou de uma verdadeira guerra. Mesas e cadeiras jogadas para todos os cantos. Gritaria, desespero e correria. O homem tinha atingido mais gravemente o jovem Jhonatan Rocha, de 26 anos, e prensado contra uma árvore o corpo de João Bringel, de 56. Este, não resistiu e morreu ainda no local. Já o rapaz foi socorrido com vida por uma ambulância até a UPA (Unidade de Pronto Atendimento). Chegando lá, as equipes médicas tentaram reanimá-lo, mas não conseguiram.

TENTATIVA DE LINCHAMENTO

Após o atropelamento coletivo, moradores que ali estavam se revoltaram com a situação e depredaram a caminhonete do autor. Além disso, eles o retiraram do interior do veículo e passaram a agredi-lo com socos, chutes, garrafadas e cadeiradas. A situação só não foi mais grave, já que uma viatura da Polícia Militar chegou rapidamente ao local e conteve a multidão.

O indiciado foi socorrido com diversos ferimentos para a Santa Casa de Andradina, onde permaneceu internado em observação durante toda a noite. Ele foi escoltado por policiais militares, já que àquela altura já tinha sido preso em flagrante pelo que havia cometido.

FORÇA-TAREFA

Os hospitais de Andradina fizeram uma verdadeira força-tarefa para poderem receber os feridos. Na UPA, por exemplo, 11 profissionais, entre médicos e enfermeiros, foram chamados com urgência, já que estavam de folga. Quase todos os pacientes foram encaminhados para a unidade. A maioria apresentava fraturas nos pés, clavículas e cortes em diversas partes do corpo.

Todos receberam atendimento médico e foram estabilizados. A última alta médica ocorreu durante a manhã de segunda. Já na Santa Casa, dois jovens continuam internados. O primeiro, de 18 anos, teve fratura facial e lesões na nuca e no supercílio. Ele chegou a ser internado em estado grave na UTI, mas foi para o quarto durante a tarde. O estado de saúde dele é considerado estável, de acordo com o último boletim médico divulgado pela assessoria de imprensa do hospital. Já uma adolescente de 16 anos também segue internado em estado estável. Ela teve uma fratura exposta na clavícula direita e aguarda uma cirurgia. Enquanto isso, a equipe médica solicitou acompanhamento psicológico, já que a menor está bastante abalada com o ocorrido.

PRISÃO EM FLAGRANTE

Depois de permanecer internado por mais de 12 horas, o autor do atropelamento recebeu alta. Ele foi escoltado por uma viatura da Polícia Militar, onde foi levado até a delegacia de Andradina. Depois de ser ouvido, Silva passou por audiência de custódia. O juiz converteu a prisão em preventiva. Ele irá responder por duplo homicídio qualificado por motivo fútil, 14 tentativas de homicídios, embriaguez ao volante, vias de fato e porte ilegal de arma de fogo, já que foi flagrado com 18 munições de calibre 38 dentro da caminhonete que dirigia.

A Polícia Civil de Andradina já iniciou as investigações do caso. O inquérito é coordenado pela delegada Michelly Miliorini. Nos próximos dias, as vítimas do atropelamento deverão ser ouvidas, assim como o autor. A polícia aguarda a conclusão dos laudos periciais para poder dar andamento aos trabalhos de apuração.

VELÓRIO COLETIVO

Os corpos das duas vítimas do atropelamento começaram a ser velados em uma igreja católica de Nova Independência no meio da tarde. Centenas de pessoas lotaram o salão disponibilizado para as últimas homenagens e despedida.

O primeiro a ser sepultado no cemitério municipal foi de Jhonatan, às 18h. Por último, o corpo de João Bringel foi enterrado por volta das 19h, no mesmo local.


Compartilhe esta notícia!
Mostrar mais
Carregar mais em Cidades

Veja também

Conselho confirma torneio de pesca para o dia 18 de abril

Compartilhe esta notícia!DA REDAÇÃO – Castilho A prefeita Fátima Nascimento deu aval…