Compartilhe esta notícia!

O Aeroporto Municipal de Guararapes, onde uma mulher foi atingida por um avião agrícola na noite de sexta-feira (29), não possui homologação para operações noturnas, segundo a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil). A vítima atingida pelo avião permanecia, até o fechamento dessa edição, internada na Santa Casa de Araçatuba.

Segundo informações apuradas pela reportagem do jornal O LIBERAL REGIONAL, o acidente aconteceu às 19h24. O aeroporto está localizado na rua Antonio Berthola, que é cortado por bairros residenciais. Já estava escuro quando a mulher, de 30 anos, seguia de bicicleta com a filha, de apenas quatro.

Em determinado momento, a vítima atravessou a pista do aeroporto. Testemunhas contaram que é bastante comum os moradores daquela localidade atravessarem a pista para ter acesso aos bairros da cidade. Acontece que a mulher não percebeu que um avião agrícola fazia o procedimento de pouso bem naquele momento. A aeronave acabou a atingindo, além da filha. A primeira vítima teve ferimentos graves e foi transferida para a Santa Casa de Araçatuba, onde foi diagnosticada com traumatismo craniano. Em um primeiro momento, o estado de saúde era considerado grave, mas após o atendimento médico a paciente respondeu bem, foi desentubada e acabou estabilizada. Já a filha teve escoriações e passava bem.

Logo após a ocorrência, policiais militares e civis, além da perícia, estiveram no aeroporto. Um inquérito será aberto já nessa segunda-feira (2) para dar andamento às investigações sobre o ocorrido. O piloto prestou depoimento e contou que tentou desviar das vítimas, mas não conseguiu.

SEM AUTORIZAÇÃO

De acordo com a Anac, a responsabilidade pelo aeroporto é da prefeitura de Guararapes. A agência informou que a homologação do terminal é apenas para operações diurnas, ou seja, não são autorizados procedimentos de pousos e decolagens no horário em que o acidente aconteceu.

“No momento, não é possível afirmar sobre possíveis punições. É necessário aguardar o término das apurações sobre o ocorrido”, complementou a nota.

OUTRO LADO

Por meio de uma nota, a prefeitura de Guararapes informou que uma empresa privada tem a concessão do hangar, mas que a administração municipal faz a manutenção do aeroclube, colocando cercas e até mesmo placas de alertas para os moradores. “Mesmo assim, as placas são retiradas e a cerca é cortada pelos próprios moradores, que fazem uma rota alternativa”, afirmou.


Compartilhe esta notícia!
Mostrar mais
Carregar mais em Cidades

Veja também

Empresário que prensou mulher com caminhonete na região é preso em Goiás

Compartilhe esta notícia!Foram 472 dias, o equivalente a um ano, três meses e 17 dias de d…