DA REDAÇÃO – SÃO PAULO

O governador João Doria anunciou nesta sexta-feira (25), no Palácio dos Bandeirantes, acordo com o Governo Federal que permite a transferência da unidade da Ceagesp (Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo), na Vila Leopoldina, zona oeste da capital, para um novo endereço e sua concessão à iniciativa privada.
Doria também assinou decreto estadual autorizando que o novo endereço tenha acesso a rodovias classe zero, caracterizadas por alto padrão técnico, com pista dupla e acessos limitados para garantir mais fluidez de tráfego. O documento também lista os requisitos e contrapartidas para implantação e manutenção do novo entreposto na Grande São Paulo.
“Não é função do Estado cuidar de ações e atividades, como o abastecimento e distribuição de alimentos, que podem ser melhor desenvolvidas pela iniciativa privada. Com o decreto que assinei hoje, será possível a implantação de mais de um entreposto como o que hoje temos na Vila Leopoldina. Nosso objetivo é estimular a competitividade e oferecer oportunidades aos trabalhadores do setor. A diferença é que esses novos entrepostos serão construídos em locais mais adequados e com acesso direto por rodovias. Dessa forma, também vamos conseguir reduzir a circulação de veículos pesados nas marginais [Tietê e Pinheiros], o que compromete o trânsito na região e nas vias de acesso”, disse Doria.
Desde 2017, o Governo do Estado recebe estudos com modelos e estrutura para implantação, operação e manutenção de um novo entreposto. No entanto, qualquer projeto era inviabilizado pela proibição de acesso por rodovias classe zero aos grandes terrenos que comportam um entreposto como a Ceagesp.
“A estrutura atual está saturada, ineficiente e ultrapassada. Além disso, não é adequado que um entreposto dessa vultuosidade esteja localizado dentro do centro expandido da capital. O ideal é que ele seja transferido para um local com todas as condições de infraestrutura e logística para melhor atender aos usuários”, afirmou o Secretário de Agricultura e Abastecimento, Gustavo Junqueira.
O novo entreposto deverá ser transferido para um local com área construída mínima de 300 mil metros quadrados e oferecer infraestrutura que atenda a atual demanda dos produtores rurais, atacadistas, varejistas, cooperativas, importadores e exportadores. A nova Ceagesp terá processos mais modernos de conservação, controle de qualidade e rastreabilidade dos alimentos. Ao Estado, caberá a fiscalização por meio da Secretaria de Agricultura e Abastecimento.
O encerramento das atividades na atual Ceagesp só acontecerá após a conclusão do novo entreposto. O objetivo é evitar que o encerramento das atividades cause prejuízos à população e permitir a migração de funcionários.
A Ceagesp da Vila Leopoldina é a maior central de abastecimento da América Latina, com área total de mais de 630 mil metros quadrados. Emprega mais de 30 mil funcionários e comercializa três milhões de toneladas de alimentos ao ano, com movimentação financeira de cerca de R$ 7,5 bilhões no período.

Centro de inovação
A região ocupada pela Ceagesp dará lugar ao Citi – Centro Internacional de Tecnologia e Inovação, que deverá ser o mais avançado ambiente de criatividade e desenvolvimento de startups do Brasil. O foco é o desenvolvimento e aplicação de hardtech (serviços de alta intensidade tecnológica).
“Tecnologia e inovação fazem parte do DNA de São Paulo. A região que escolhemos para abrigar o Citi já tem vocação para isso. Próximo de lá já temos o IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas) e a USP. O Citi será feito em conjunto com a prefeitura e o Governo Federal, porque ele vai abrigar projetos de interesse do país”, declarou o governador.

 

Mostrar mais
Carregar mais em Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Secretaria desenvolve produto natural para auxiliar no combate a carrapatos

DA REDAÇÃO – SÃO PAULO Um produto natural com capacidade para combater os carrapatos…