CidadesPlantão Policial

Suspeita de participar de assassinato brutal, ‘Viúva Negra’ é presa em Araçatuba

Policiais civis do GOE (Grupo de Operações Especiais) prenderam no fim da tarde de terça-feira (08) uma mulher de 33 anos conhecida como ‘Viúva Negra’ de uma fação criminosa que age dentro e fora dos presídios. A prisão ocorreu no bairro Porto Real 2, em Araçatuba. Ela é suspeita de ter participado do assassinato de uma mulher de 29 anos em setembro no município de Três Lagoas, Mato Grosso do Sul. A vítima foi sequestrada e morta brutalmente, com cerca de 30 facadas.

De acordo com informações do boletim de ocorrência, as equipes da Polícia Civil de Três Lagoas já investigavam o homicídio. O corpo de Érica Rodrigues Ribeiro foi localizado na região conhecida como Cascalheira, às margens do rio Paraná, na manhã do dia quatro de setembro. Ela foi sequestrada dois dias antes por quatro pessoas, sendo duas mulheres e dois homens.

Testemunhas disseram em depoimento que viram o momento que as mulheres ficaram conversando com Érica por aproximadamente 20 minutos, depois a chamaram para acompanhá-la. A vítima cumpria prisão domiciliar e teria recusado. Logo em seguida, ela entrou na casa depois de uma das autoras pedir um copo d’agua. Minutos depois, a vítima começou a gritar por socorro e foi arrastada para dentro de um carro.

Com base em depoimentos e imagens de câmeras de segurança, os policiais conseguiram identificar todos os participantes do crime. Três foram presos na mesma semana da localização do corpo, mas Adelice Aparecida Queiroz Honorato continuava foragida. Em determinado momento, o setor de inteligência apurou que ela estaria escondida na residência do irmão, localizada na rua Igor Dourado e Castro, em Araçatuba.

LOCALIZAÇÃO

Com essas informações, os policiais do GOE passaram a fazer diligências no bairro a fim de encontrar a casa. Eles também receberam informações de que Adelice seria membro de uma facção criminosa e exercia a função de sintonia, popularmente conhecida como ‘Viúva Negra’. Durante a tarde, a viatura se deparou com uma mulher com as mesmas características caminhando pela via pública.

Ela foi abordada e apresentou o documento da cunhada, mas logo em seguida confessou a verdadeira identidade. Ela levou os policiais até o imóvel. Em vistoria foram encontrados 73 pinos contendo cocaína. A droga estava escondida dentro de interruptores de energia elétrica. Além disso, a polícia também apreendeu um celular, R$ 300 em dinheiro, além de diversas anotações referentes ao tráfico de drogas da facção.

A indiciada foi levada até a Central de Flagrantes, onde prestou depoimento. Ela já tinha um mandado de prisão preventiva expedido pela Justiça de Três Lagoas. Além de responder pelo homicídio da vítima, ela também irá ser enquadrada pelo crime de tráfico de drogas. A autora foi transferida para a penitenciária feminina de Tupi Paulista.

Comment here