Compartilhe esta notícia!

Adriana Luiza Costa de Almeida – SÃO PAULO

De janeiro a agosto de 2019, as exportações do Estado de São Paulo somaram US$ 31,94 bilhões (21,5% do total nacional), e as importações US$ 39,93 bilhões (34,1% do total nacional), registrando déficit comercial de US$ 7,99 bilhões, informa a Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, por meio do Instituto de Economia Agrícola (IEA/Apta).
Na análise setorial, o agronegócio paulista apresentou queda tanto nas exportações (-12,7%), que registraram US$ 9,77 bilhões, quanto nas importações (-5,7%), que fecharam em US$ 3,17 bilhões, totalizando US$ 6,6 bilhões, destacam Marli Dias Mascarenhas Oliveira, José Alberto Angelo e Carlos Nabil Ghobril, pesquisadores do IEA. “Mesmo sendo 15,7% inferior obtido em igual período de 2018, o superávit produzido pelas exportações do agro é fundamental para equilibrar as contas paulistas”, concluem os pesquisadores.
Nestes dois últimos quadrimestres, os cinco principais grupos nas exportações do agronegócio foram: Complexo Sucroalcooleiro (US$ 2,54 bilhões, sendo que, desse total o açúcar representou 77,5% e o álcool 22,5%), Carnes (US$ 1,29 bilhão, em que a carne bovina respondeu por 83,5%), Complexo Soja (US$ 1,28 bilhão), Produtos Florestais (US$ 1,19 bilhão, com participações de 56,6% de papel e 34,2% de celulose), e Sucos (US$ 1,09 bilhão, dos quais 96,7% referentes a sucos de laranja). Esses cinco grupos representaram 75,7% das vendas externas setoriais paulistas. A participação das exportações do agronegócio paulista no total do Estado diminuiu 2,1 pontos percentuais, enquanto a participação das importações caiu 0,3 ponto percentual.

Balança Comercial do Brasil
A balança comercial brasileira registrou superávit de US$ 31,54 bilhões, resultado de exportações de US$ 148,64 bilhões e importações de US$ 117,10 bilhões. Esse montante é 14% menor que o saldo comercial obtido em 2018. No mesmo período, as exportações do agronegócio apresentaram redução (-5,4%), alcançando US$ 64,57 bilhões (43,4% do total nacional), e as importações, que recuaram em menor nível, (-2,5%), registrando US$ 9,23 bilhões (7,9% do total nacional).
Os cinco principais grupos nas vendas externas do agronegócio brasileiro foram: Complexo Soja (US$ 24,36 bilhões), Carnes (US$ 10,20 bilhões, com a carne de frango representando 45,1% desse total, e as carnes bovina e suína com 42,5% e 9,3%, respectivamente), Produtos Florestais (US$ 9,23 bilhões, com participações de 60,4% de celulose e 24,9% de madeira), Cereais, Farinhas e Preparações (US$ 4,49 bilhões, sendo 88,6% do milho em grão), e Complexo Sucroalcooleiro (US$ 3,88 bilhões, dos quais 84,5% de açúcar). Esses cinco agregados representaram 80,8% das vendas externas setoriais brasileiras.
O café (US$ 3,35 bilhões), importante grupo na pauta das exportações brasileiras, embora com variação positiva (17,7%), permaneceu na sexta posição no ranking, reflexo da queda do preço internacional do café verde em grão, ainda que o embarque do produto tenha aumentado (48,2%), passando de 970 mil toneladas até agosto de 2018 para 1,44 milhão de toneladas no acumulado de 2019.

 


Compartilhe esta notícia!
Mostrar mais
Carregar mais em Brasil

Veja também

Dois homens são presos durante operação contra o tráfico na região

Compartilhe esta notícia!Policiais militares e civis de Pereira Barreto realizaram na tard…