CidadesPlantão Policial

Homem que assassinou travesti vai a julgamento hoje

A Justiça de Araçatuba realiza nesta quarta-feira (25) o julgamento de Ruan Richard Cwsto Nisa, de 26 anos. Ele é acusado de ter assassinado Ivan Carlos Rodrigues em setembro de 2015 na cidade. A vítima era homossexual e fazia ponto na rua Marcílio Dias. Ela foi estrangulada até a morte com um cabo de energia elétrica e teve o corpo enterrado em uma mata existente no bairro Jardim Universo. O réu responde por homicídio qualificado por meio cruel, ocultação de cadáver e furto, já que subtraiu o celular de Rodrigues depois da ação.

De acordo com a denúncia apresentada pelo Ministério Público, os crimes ocorreram na madrugada do dia seis de setembro de 2015. O réu estava em uma construção com a vítima, localizada no cruzamento da rua Conde Zepelin com a Avenida Arthur Ferreira da Costa. Eles mantiveram relação sexual e em determinado momento tiveram um desentendimento após Nisa receber uma ligação.

O acusado se apoderou de uma pá e desferiu dois golpes na nuca de Rodrigues, que caiu desacordado. Na sequência, o indiciado foi até a uma mata nos fundos do imóvel e escavou uma cova rasa para enterrar o corpo. Ao retornar, percebeu que o homem ainda estava vivo. Ele se apoderou de um cabo de energia elétrica, enrolou no pescoço e assassinou a vítima por asfixia. Depois, a enterrou na cova.

No dia seguinte ao homicídio, o réu contou o que havia feito ao proprietário da casa, que atualmente é falecido. Juntamente com outras seis pessoas, entre elas um adolescente, eles retornaram ao local a fim de melhor ocultar o corpo da vítima em uma cova mais profunda. Consta na denúncia, que todos agiram em ações coordenadas e com a divisão de tarefas. À época, outros três investigados foram denunciados, mas o promotor do MP, Adelmo Pinho, solicitou que eles não fossem pronunciados.

INVESTIGAÇÕES

No curso das investigações, a Polícia Civil desconfiou que Nisa pudesse ter cometido o crime, já que era cliente da vítima. Ele chegou a prestar depoimento em um primeiro momento, mas negou as acusações. Alguns dias depois, a DIG (Delegacia de Investigações Gerais) recebeu denúncia de que ele realmente tinha assassinato o travesti e foi informada sobre a localização exata do corpo.

A escavação foi feita no dia 27 de outubro de 2015 e o corpo acabou localizado. A polícia pediu a prisão do indiciado, que foi preso em Andradina. Ele acabou confessando o crime, após descobrir que os restos mortais tinham sido localizados. Atualmente, o réu continua preso. O julgamento está marcado para começar às 9h, no Fórum.

Comment here