CidadesPlantão Policial

Vidraceiro é preso após dar paulada na cabeça do sogro e tentar matar a esposa

Um vidraceiro de 28 anos de idade foi preso em flagrante na noite de domingo (18) depois de tentar matar a esposa, uma dona de casa, com uma faca e agredir o sogro, de 52 anos, na cabeça com um pedaço de madeira. O caso ocorreu na residência do casal, que fica na rua Moara Sacramento Amaro, no bairro Porto Real 2, em Araçatuba.

 

Segundo informações do boletim de ocorrência, policiais militares faziam patrulhamento de rotina quando foram acionados para o atendimento no endereço. Chegando lá, os PMs encontraram o sogro do autor. Ele tinha um ferimento na cabeça depois de ser golpeado pelo suspeito. Uma equipe do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) prestou os primeiros atendimentos e o socorreu até o Pronto-Socorro Municipal.

 

Ainda no local estava a mulher, que contou o que havia acontecido. O pai dela, ferido na ação, foi fazer uma visita em sua casa quando, em determinado momento, o indiciado chegou alterado e pediu para que o sogro saísse, já que precisava conversar com a filha dele a sós. Com medo daquela situação, o pai da jovem não foi embora. Nesse momento, o vidraceiro se irritou, armou-se com um pedaço de madeira e golpeou a vítima na cabeça.

 

Logo em seguida, o rapaz pegou uma faca e ameaçou matar a convivente. Ela conseguiu fugir para a casa de uma vizinha, juntamente com a mãe. O investigado tentou, ainda, pular o muro do imóvel a fim de conseguir encontrar a esposa. Com a chegada da polícia, o homem ainda estava no interior da residência e negou todas as acusações. Ele informou que golpeou o sogro, pois o mesmo teria tentado atingi-lo com uma cadeira.

 

O suspeito foi levado até a Central de Flagrantes, onde prestou depoimento. A mulher dele decidiu representar criminalmente contra os crimes de ameaça e requisitou medidas protetivas. A delegada plantonista manteve o flagrante por violência doméstica, lesão corporal e ameaça, estipulou fiança de R$ 1,5 mil ao indiciado, mas ele não pagou a quantia, por isso, permaneceu à disposição da Justiça. Um inquérito foi aberto pela DDM (Delegacia de Defesa da Mulher), que irá continuar investigando o ocorrido.

Comment here