CidadesInternacionalMundo

Exportações paulistas auxiliam a manter culinária tradicional da China

DA REDAÇÃO – SÃO PAULO

Assim como no Brasil, a agricultura é uma das principais atividades econômicas na China, sendo o arroz, o trigo e a soja elementos essenciais para a culinária. Os chineses também têm o costume de comer carne de frango, de boi e principalmente de porco. Por conta de sua população com mais de um bilhão de pessoas, o país se tornou o 2º maior importador do mundo em 2017, segundo o The Observatory of Economic Complecity (OEC).
Já segundo o levantamento “Balança Comercial dos Agronegócios Paulista e Brasileiro: Primeiro Semestre de 2019”, feito pela Secretaria de Agricultura do Estado de São Paulo (SAA), por meio do Instituto de Economia Agrícola (IEA), a China é o principal país importador de produtos, com 20,1% do total de produtos exportados por São Paulo no valor de US$ 1,4 bilhão. Os principais produtos são a soja, que representa 50,8%, e as carnes, 19,5%.

CONSUMO DE SOJA
O aumento de importação de soja na China é ascendente e coincide com o ritmo contrário da redução de área plantada do grão. No País, o produto moído resulta em óleo e rações para animais de granja e peixes, apenas 20% da soja é utilizada diretamente na alimentação humana para fazer o tradicional tofu, leite e molho de soja.
Enquanto na China produz-se menos e importa-se mais, em São Paulo a produção de soja vem aumentando, segundo o IEA, no ano de 2017, foram produzidas 52 milhões de sacas de 60 kg cujo preço médio recebido pelo agricultor foi de R$ 62,03 por saca, resultando no Valor da Produção Agropecuária (VPA) de R$ 3 bilhões.
No ano de 2018, o produto valorizou 20,36%, assim o preço médio da saca de 60 kg de soja atingiu R$ 74,66, a produção aumentou 6,04%, gerando 55 milhões de sacas e, com essa produtividade, o VPA foi de R$ 4 bilhões.

Consumo de carne
O consumo de carnes na China é influenciado por certas tradições nacionais. A carne suína é a mais consumida pela população e representa metade da demanda mundial. Um dos pratos típicos feito com a carne suína é o yakissoba de porco.
Uma curiosidade: 2019 é o Ano do Porco de Terra na China e segundo a crença, o animal é símbolo de paciência e bondade. Ele influencia as pessoas a serem mais doces e generosas, bem como dará mais determinação e coragem para que alcancem suas metas e ambições.
O frango também é uma opção tradicional, pois tem o significado cultural de “abundância”, sendo considerado como positivo consumi-lo em algumas datas comemorativas, como no Ano Novo Chinês. Um dos pratos típicos é o frango xadrez.
Por conta do seu custo elevado, a carne bovina demorou a se tornar popular no país, no entanto, ganhou espaço nos hábitos
Por conta desse popular consumo de carnes, a China foi o segundo pais que mais importou carnes paulistas, representando 19,5% dos produtos que comprou do Estado, cerca de US$ 281 milhões.
No total, a exportação mundial de carnes, de São Paulo gerou US$ 902 milhões no primeiro semestre de 2019, sendo que a produção, preço médio e o VPA são calculados por tipo de carne no IEA. Além da China, o Estado exporta carne para países como Hong Kong, Egito e Russia.

Pratos típicos da China
Proveniente de um passado histórico de guerras e fome que assolou o país, a China tem uma culinária diferenciada. Iguarias como cobra, gafanhoto e barbatanas de tubarão fazem parte do cardápio. Pratos como frango xadrez, yakissoba e tofu são conhecidos e apreciados no mundo todo.
A nutricionista da Coordenadoria de Desenvolvimento dos Agronegócios (Codeagro), da Secretaria de Agricultura, Katlly Evillim explica que o yakissoba é confundido com um prato de origem japonesa. “Originalmente é um prato com a base de macarrão chinês (chuukamen), legumes, carne suína e molho (shoyo ou inglês), só que mais espesso. No Brasil, o prato sofreu algumas variações, como a adição de carne vermelha, frango e outros legumes, e se tornou muito apreciado e consumido, por ser uma refeição completa e de fácil preparo.”
Ela também conta que o tofu, assim como o yakissoba, tem sua origem na China. “Feito a partir do processamento da soja, no qual é obtido um líquido parecido com o leite, que depois de coagulado, tem uma textura firme parecida com a do queijo. É rico em proteína, vitaminas e de fácil digestão, tornando-se uma ótima opção para inclusão na alimentação”.
“E o frango xadrez, na China, leva o nome de Gong Bao. No Brasil, é chamado de frango xadrez devido aos cortes dos ingredientes serem quadrados. É um prato muito conhecido e apreciado, que leva além do frango, pimentões vermelhos e amarelos, cebola e amendoim, deixando o prato mais colorido e apetitoso”, completou a nutricionista.

 

 

Comment here