Home Cidades Corpus Christi com missas programadas em várias paróquias da Diocese de Araçatuba

Corpus Christi com missas programadas em várias paróquias da Diocese de Araçatuba

9 minutos de leitura
Compartilhe esta notícia!

A solenidade do Corpo e Sangue de Cristo, Corpus Christi, tem missas por toda a diocese no dia 20 (quinta-feira). As paróquias adotaram gestos concretos para marcar o dia voltado para exaltação e adoração do Cristo presente na Sagrada Eucaristia.
Em cidades como Araçatuba e Andradina, os fiéis que participarem das missas poderão fazer um gesto concreto antes das missas. Eles são motivados em suas comunidades a doarem um quilo de alimento não perecível, cujo total será repassado para os trabalhos pastorais que cuidam dos irmãos mais carentes.
Em Araçatuba, a doação pode ser feita na entrada do Ginásio de Esportes Plácido Rocha, onde ocorre a missa em nível municipal ás 16h. Essa missa será presidida pelo bispo Dom Sergio Krzywy e concelebrada por todos os padres da cidade.
Após a missa, o bispo conduz o Santíssimo Sacramento por pelo menos um quilômetro, como gesto público de adoração. A procissão será percorrida até a Praça João Pessoa, onde será ministrada a bênção solene.
Em Andradina, a missa ocorre na Paróquia Nossa Senhora das Graças, às 17h, reunindo tanto os fiéis locais quanto os que pertencem à Paróquia São Sebastião. Em seguida, todos vão em procissão para a igreja matriz da cidade, onde será feita a bênção do Santíssimo Sacramento.
A paróquia salienta que os alimentos que podem ser doados são açúcar, leite e óleo, os quais serão repassados para as entidades do município andradinense.
As demais paróquias e comunidades das 19 cidades da Diocese terão missas também.

TAPETES
Além das missas, os fiéis também produzem os tradicionais tapetes em cada uma das paróquias da Diocese.
Em Araçatuba, as 12 paróquias novamente farão os trabalhos entre o Ginásio Municipal, de onde sai a procissão, até a Praça João Pessoa. Os materiais artesanais salientam a Eucaristia, a devoção a Nossa Senhora e também elementos de fé da Igreja.
Este ano os fiéis também são motivados a lembrarem do Jubileu de Prata da Diocese de Araçatuba.
Os fiéis chegam ainda de madrugada para a confecção dos tapetes. E já no final da manhã é possível contemplar a beleza e o cuidado de cada comunidade, que usa materiais diversos para a produção, como pó de café, palha, serragem colorida, sal grosso colorido, tampinhas e outros materiais aproveitados. Em média, as paróquias estão juntando os materiais há seis meses.
Em Araçatuba, o CRP (Conselho Regional de Pastoral) salienta que em caso de tempo chuvoso não haverá a confecção dos tapetes. As paróquias já foram orientadas também.
No entanto, a previsão do tempo do Ipmet (Instituto de Pesquisas Meteorológicas), da Unesp, a massa de ar seco presente na região de Araçatuba deve permanecer nesta semana, o que inibe o tempo chuvoso.

A DATA
Segundo o padre Edson Barbosa, vigário da Paróquia Nossa Senhora das Graças e da região Pastoral de Andradina, a elaboração dos tapetes é uma tradição herdada de Portugal, ainda na colonização do Brasil, embora realizada em diversos cantos do mundo. “Hoje os tapetes são expressões de arte onde o povo de Deus manifesta carinhosamente, com desenhos eucarísticos, sua expressão de amor à Eucaristia. E é exclusivamente por eles que o Santíssimo passa durante as procissões a serem realizadas”, afirma.
Ainda de acordo com o vigário, a festa de Corpus Christi surgiu no Século 13, quando Santa Juliana de Mont Cornillon, então uma freira agostiniana belga, revelou visões de Cristo pedindo que se mostrasse a necessidade de uma festa onde a Eucaristia fosse apresentada ao povo. A festa logo se espalhou pela Diocese de Liege e por toda a Bélgica. Ouvindo esse desejo, o papa Urbano 4º instituiu a solenidade, em 1264.
“A Solenidade de Corpus Christi é celebrada anualmente na quinta-feira posterior ao Domingo da Santíssima Trindade. É a única festa em que o Santíssimo Sacramento sai de dentro da igreja para uma procissão púbica, como vemos todos os anos nas cidades de nossa diocese”, explica.
Barbosa ainda recorda as palavras do papa emérito Bento 16 sobre a festividade. “A solenidade do Corpo e Sangue de Cristo convida-nos a contemplar o mistério supremo da nossa fé: a Santíssima Eucaristia, presença real do Senhor Jesus Cristo no Sacramento do Altar. Cada vez que o sacerdote renova o sacrifício eucarístico, na oração da consagração, ele repete: “Este é o meu corpo … este é o meu sangue “. Ele empresta sua voz, as mãos e o coração a Cristo, que quis permanecer conosco e ser o coração da Igreja”.

1

2

3

Região pastoral de Guararapes

4

DA REDAÇÃO
Araçatuba


Compartilhe esta notícia!