Cidades

Secretaria da Educação utiliza estagiárias para cuidar de crianças

Crianças de 0 a 3 anos de idade, atendidas em centros de educação infantil (CEI), de Castilho, estão ficando apenas com estagiárias no período da tarde. A denúncia foi feita pelo pai de uma criança, Adilson dos Santos, que afirma ter levado o problema ao secretário da Educação, Mário Grespan e à Câmara Municipal. Porém, segundo ele, não houve qualquer tomada de posição para reverter a situação. Por isso, Adilson, que é agente de segurança penitenciária, disse que já está preparando a documentação para formalizar a denúncia junto ao Ministério Público do Estado de São Paulo. “Será mais uma denúncia entre tantas outras feitas ao Ministério Público”, disse Adilson, questionando a postura da administração da prefeita Fátima Nascimento.
Segundo o denunciante, o problema começou há mais de um ano. Antes as crianças tinham acompanhamento de professoras em todo o período. No entanto, foi criado o cargo de agente de desenvolvimento infantil, que deveria atuar em auxílio aos professores em no atendimento às crianças. No entanto, não houve contratação em número adequado. Assim, a administração passou a usar estagiárias no período vespertino para cuidar das crianças de 0 a 3 anos de idade.
“Levei este problema ao secretário Mário Grespan na esperança que fosse resolvido. Mas não foi. Por isso, fiz publicamente uma postagem e recorri a outras formas para chamar a atenção para o grave problema da educação no município. Não é apenas cuidar da criança, tem a questão pedagógica”, disse Adilson Santos, explicando que cada estagiária ganha R$ 500 por mês.
Santos disse que após a sua postagem e tornar pública a grave situação da educação infantil em Castilho, vários pais se manifestaram também preocupados e duas estagiárias, que comentaram a situação, expondo a preocupação, foram chamadas à secretaria e sumariamente desligadas. Além disso, há informações de que em uma unidade, salas foram anexadas por falta de funcionários.
Conforme foi apurado pela reportagem, das duas estagiárias desligadas foram chamadas e comunicadas do desligamento tendo como justificativa a postagem feita.
“Lamentamos muito que isso esteja ocorrendo em Castilho, sem qualquer preocupação com a formação e a segurança das crianças”, disse Adilson Santos.

LIVROS INFANTIS
Na oportunidade, Adilson Santos relembrou a questão dos livros infantis comprados no ano passado e distribuído às crianças.
A Prefeitura de Castilho gastou mais de R$ 440 mil para comprar os livros. Foram 1.530 kits com seis livros cada. Portanto, a despesa com cada aluno foi de R$ 288,00. Ou R$ 440.640,00.
Para Adilson Santos, são livros com erros graves e sem avaliação de especialistas. Além disso, o preço cobrado está muito acima de outras obras do mercado editorial voltadas para a criança. “Também levamos a questão destes livros à polícia”, disse o denunciante.
A Secretaria da Educação gasta quase meio milhão de reais com livros sem critério definido e deixa estagiárias cuidando das crianças. Esse questionamento é feito por Adilson e outros pais.

ANTÔNIO CRISPIM
CASTILHO

Comment here