Cidades

Saúde de Castilho ignora e irregularidades e mantém uso de veículos sem registro

A Secretaria da Saúde de Castilho está mantendo o transporte de pacientes em veículos não registrados na Artesp (Agência de Transportes de São Paulo). O contrato foi firmado com a Transportadora Lucas Andradina em 29 de março deste ano. O processo licitatório foi aberto no final do ano passado e concluído no dia 29 de janeiro, com a homologação do resultado. Embora seja praxe a apresentação dos veículos que serão usados na prestação de serviço contratado, duas vans usadas pela Transportadora Lucas Andradina não têm o registro. Apenas o micro-ônibus, que pertence a uma empresa de Araçatuba, está regularizada. Além disso, questiona-se o uso de micro-ônibus em viagens com poucos passageiros. A secretaria da Saúde tem como titular Janini Nascimento, filha da prefeita Fátima Nascimento.
A Transportadora Lucas Andradina disputou o processo licitatório e venceu com o preço de R$ 2,79 para van (até 15 lugares) e R$ 3,51 para micro-ônibus (até 25 lugares). O serviço começou ser efetivamente prestado na segunda quinzena de abril. Praticamente todos os dias há transporte de pacientes em veículos fretados. Normalmente a van placa FKV 6162 viaja geralmente para Jales, Fernandópolis São José do Rio Preto e Barretos, enquanto o micro-ônibus viaja para Mirandópolis, Araçatuba e Buritama. Na semana passada, em um único dia, além do micro-ônibus fretado, outros cinco veículos foram escalados para transporte de pessoas para Araçatuba.
Ao longo da semana passada, o veículo fretado para Araçatuba transportou menos passageiros do que a capacidade. No dia 6 – 14 passageiros, dia 7 – oito, dia 8 – 12, dia 9 – 10 passageiros e dia 10, apenas nove passageiros. O volume de passageiros transportados chama a atenção. Pessoas não entendem porque transportar em micro-ônibus total de passageiros que não dá lotação para uma van. O preço da van é de R$ 2,79 o quilômetro rodado e do micro-ônibus – R$ 3,51.
Nesta segunda-feira, foi previsto o transporte de 34 passageiros. Para tanto, foram fretados o micro-ônibus e uma van. Por volta de 10 horas, os dois veículos estavam em Araçatuba.
A exemplo da van Renault Master placa FKV 6162 (em nome da Transportadora Lucas Andradina), a van Sprinter Mercedes Benz placa FIT 4311 (em nome da Transportadora Lucas Castilho), não tem registro na Artesp. Além disso, as duas vans foram licenciadas no ano passado. Uma delas o licenciamento venceu em abril deste ano e da outra, em maio. Ou seja, uma delas está transitando sem o devido licenciamento. Uma van tem mais de R$ 4 mil em multas por transitar em local e horários proibidos. A outra van tem aproximadamente R$ 700 de multas, sendo três por excesso de velocidade e duas por transitar em locais e horários proibidos.

INSATISFAÇÃO
Até mesmo usuários questionam o usado de veículos fretados, mesmo com poucos passageiros. Há informações, também, de insatisfação de muitos motoristas da área de saúde.

ANTÔNIO CRISPIM
CASTILHO

Comment here