Compartilhe esta notícia!

O departamento de Saúde confirmou nesta terça-feira (2) mais dois casos de mortes suspeitas de dengue na cidade. Trata-se de uma mulher, de 36 anos, moradora do bairro Pauliceia e um homem, de 75 anos, morador do Jardim Santa Rosa. Com esses, Mirandópolis chega a quatro mortes suspeitas de dengue na cidade. Atualmente, o município registra 600 casos positivos da doença.
De acordo com a Vigilância Epidemiológica, a mulher morreu no último dia 12, estava gestante de seis meses e teve complicações no útero. Ela deu entrada com aborto retido infectado no Hospital Estadual de Mirandópolis (HEM) no dia 9 de março, ficou internada e chegou a ser transferida para a UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital.
A causa da morte registrada no atestado de óbito foi choque séptico, porém um médico plantonista avaliou que as plaquetas dela estavam baixas e por conta disso solicitou exames para comprovar ou descartar se a paciente estava com dengue.
Já o homem chegou a dar entrada na UBS (Unidade Básica de Saúde) Yoshito Kanzawa no dia 7 de março em estado febril. Com a suspeita de dengue, a médica solicitou exames, o medicou e o liberou. Três dias depois ele deu entrada no HEM, ficou internado e foi transferido para a UTI, com desconforto respiratório e derrame no pulmão. No dia 22 de março o quadro dele piorou e no dia seguinte veio a óbito. Os exames que comprovarão as mortes foram encaminhados ao Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo, e devem ficar prontos em 30 dias.
A Prefeitura continua realizando os serviços de nebulização manual por toda a cidade. No próximo sábado (6/4), às 9h, está prevista uma passeata organizada pelo Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF) do departamento de Saúde para conscientizar a população sobre as precauções e os perigos causados pelo mosquito Aedes aegypti.

DA REDAÇÃO
Mirandópolis


Compartilhe esta notícia!