Cidades

Salmeirão anuncia nova tentativa para acabar com a falta d’água em Birigui

O prefeito de Birigui, Cristiano Salmeirão (PTB), anunciou ontem novo plano para tentar solucionar o problema da falta d’água em bairros da cidade. Após reunião com vereadores e secretários a portas fechadas, no Paço Municipal, durante a tarde, ele informou que enviará à Câmara projeto que prevê a reforma do Poço Áqua Pérola, setorização e, ao mesmo tempo, perfuração do poço do Portal da Pérola 2, um conjunto de investimentos avaliado em cerca de R$ 27 milhões. Somente com o projeto, será possível saber se, nesse caso, haverá algum tipo de concessão à iniciativa privada. O encontro dessa segunda-feira ocorreu uma semana depois de Salmeirão retirar projeto encaminhado ao Legislativo que previa a concessão total do serviço à iniciativa privada por 35 anos, ao custo de R$ 150 milhões.
Na reunião, Salmeirão voltou a classificar como “crítica” a situação da água em Birigui. “Desde 2015, falta água na cidade. E eu preciso resolver. Mostramos, então, para os vereadores quais são os projetos que temos que executar. Não é só a perfuração do poço, mas um conjunto de ações. Depois da reforma, perfuração e setorização do poço”, explicou.
Outro problema citado pelo prefeito seria de ordem financeira. Segundo Salmeirão, existem dívidas de aproximadamente R$ 12 milhões deixadas por administrações passadas com empresas que prestam serviço para o setor.
Salmeirão deixou o encontro satisfeito. “Foi positivo. Houve a demonstração do que foi feito e daquilo que precisa ser feito. Os vereadores apresentaram as opiniões e vou enviar o projeto para a Câmara, esperando que seja aprovado. Sem essa aprovação do projeto, eu não consigo fazer nada”, disse ele.
O debate contou participação expressiva dos representantes da Câmara. Participaram os vereadores governistas Cláudio Barbosa (PSB), Andrey Servelatti (PSDB), Carla Protetora (PSD), Eduardo Dentista (PT), José Roberto Paquinha (MDB), Pastor Reginaldo (PTB), José Luis Buchalla (PRP), Vadão da Farmácia (PTB) e Odair Piacente (PSC). Até mesmo parlamentares da oposição, que haviam feito duras críticas à proposta de concessão, estavam lá: José Fermino Grosso (DEM), Benedito Dafé (PV), Luiz Roberto Ferrari (DEM) e César Pantarotto (Podemos).

‘POLITIZAÇÃO’
Na semana passada, quando anunciou a desistência da concessão, Salmeirão disse, em entrevista ao jornal O LIBERAL REGIONAL, que houve uma “politização” daquela proposta por parte de vereadores que não apoiam seu governo e reconheceu que, neste momento, a população é contra a medida. O chefe do Executivo disse que, para tomar a decisão, ouviu os parlamentares de sua base de apoio, que “foram violentamente ultrajados nas redes sociais por ato que nem realizaram”, ou seja, a votação favorável ao texto.
O projeto da concessão previa uma mudança de gestão no mesmo modelo ocorrido em Araçatuba em 2012.

ARNON GOMES
Birigui

Comment here