Cidades

Jair Bolsonaro é eleito presidente com o apoio quase total da região

Jair Messias Bolsonaro foi eleito presidente do Brasil no último domingo com vitória na quase totalidade dos municípios da região de Araçatuba. Das 43 cidades, mais Lins e Promissão, onde também circula o jornal O LIBERAL REGIONAL, o capitão reformado só não venceu em uma: mais uma vez, Itapura, como no primeiro turno. Esse resultado foi acompanhado de maioria folgada de votos a seu favor.
Em boa parte dos municípios, o político do PSL triunfou nas urnas com média acima dos 70%, percentual bem superior aos 55% dos votos válidos conquistados em todo o Brasil. Aos 63 anos de idade, ele chega à Presidência da República, com a preferência de 57,8 milhões de eleitores brasileiros. Seu adversário no segundo turno, o petista Fernando Haddad, totalizou 47 milhões – 44,8% do total.
Natural de Glicério, município da região, Bolsonaro contou, nesta faixa do Noroeste Paulista, com forte movimento de apoio à sua candidatura, boa parte dele oriundo das passeatas contra a corrupção e os governos do PT, ocorridas nos últimos anos. Isso, além de apoiadores que fizeram intensa campanha nas redes sociais e lideranças políticas que lhe declararam apoio. Durante a campanha, em 24 de agosto, visitou a região, tendo cumprido agenda em Araçatuba, onde suas passeatas levaram milhares às ruas. Na ocasião, aproveitou para visitar sua cidade natal. A visita aconteceu duas semanas antes do atentado sofrido em Juiz de Fora (MG), quando foi esfaqueado em um ato de campanha. A partir dali, Bolsonaro deixou de cumprir agenda externa, não participando, inclusive, de debates.
Esse contexto somado a fatores de nível nacional, como a insatisfação popular com a política e a resistência ao PT após a prisão do ex-presidente Lula e o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, que governaram o País em um período no qual a legenda comandava importantes cidades da região, fortaleceram Bolsonaro entre as 43 cidades.

NÚMEROS
Na votação de domingo, ele venceu com ligeira maioria dos votos nas cidades mais populosas da região. Em Araçatuba, 79,73% dos votos, enquanto em Penápolis e Andradina, 75,19% e 71,62%, respectivamente. Dos maiores municípios, Birigui deu a votação mais expressiva ao militar: 83,07% dos votos.
Na região, a onda pró-Bolsonaro só superou Birigui em Lins, onde ele recebeu percentual um pouco maior: 83,37%. Em outras duas cidades, ele também ultrapassou a casa dos 80%. Em Bilac, obteve 81,54%. Em seguida, veio aquele que, talvez, seja o único reduto petista da região: Coroados. Nesta cidade, onde o PT responde por um terço da câmara municipal, com três vereadores, Bolsonaro conquistou 80,63% dos votos válidos.
O resultado conquistado pelo 42º presidente eleito do Brasil na região de Araçatuba foi tão significativo que caminhou bem na contramão de outra estatística apurada após o segundo turno presidencial. Se, nesse território do Estado de São Paulo, o presidente eleito foi praticamente soberano, na maioria dos municípios brasileiros, Haddad venceu, apesar da derrota no cômputo geral. Bolsonaro venceu em 2.757 cidades brasileiras, enquanto o petista em 2.792.

TRÊS LAGOAS
Em Três Lagoas, no Mato Grosso do Sul, onde O LIBERAL também circula, foi observada a mesma tendência da região de Araçatuba. Lá, Bolsonaro recebeu 67,36% dos votos – Haddad ficou com 32,64%.

Em Araçatuba, um quarto do eleitorado deixou de votar

Como no primeiro turno, no segundo, quase um quarto dos eleitores de Araçatuba deixou de votar.
O índice de abstenções no maior colégio eleitoral da região chegou a 23,43%, o que representa pouco mais de 30 mil eleitores.
Na região, o percentual também foi alto. Das maiores cidades, em Birigui, Penápolis e Andradina, ficou em 20,25%, 26,94% e 26,32%.

Único município pró-Haddad tem representante do partido de Bolsonaro

A eleição de 2018 termina com o município de Itapura se firmando como a localidade onde o Partido dos Trabalhadores obteve seu melhor desempenho. Se, no primeiro turno, a cidade de 4,6 mil habitantes havia caminhado na contramão regional, ao dar maior votação para o PT nas disputas pelo Senado (Eduardo Suplicy), governo estadual (Luiz Marinho) e presidencial (Haddad), no segundo, não foi diferente.
No domingo passado, Haddad recebeu 66,86% dos votos válidos, enquanto Bolsonaro, 33,14%. Chama atenção, neste contexto, o fato de, atualmente, o PT não contar com políticos no exercício de mandato, que poderiam pedir votos para o candidato a presidente apoiado por Lula. O atual prefeito da cidade, Fábio Dourado (PP), venceu a eleição de 2016, derrotando justamente um candidato do PT: Antenor de Oliveira Filho, o Tuca.
Curiosamente, Itapura é um dos poucos municípios na região que, antes de o PSL de Bolsonaro sair da condição de figurante para protagonista após a eleição deste ano, já contava com parlamentar do partido do presidente eleito. Dentre os nove representantes da câmara daquela cidade, o Partido Social Liberal conta com a vereadora Maria Joana de Oliveira, mais conhecida como “Irmã Joana”.
CHEGOU PERTO
Apesar do bom resultado obtido em Itapura, Haddad encostou em Bolsonaro em pelo menos outros dois municípios da região. Em Castilho, o candidato do PSL recebeu 50,94% dos votos, enquanto Haddad, 49,06%. Situação parecida ocorreu em Gastão Vidigal. Lá, Bolsonaro chegou a 50,28% e Haddad, 49,72%.

ARNON GOMES
Araçatuba

Comment here