Vacinação contra HPV não atinge nem metade do público-alvo

ARNON GOMES – ARAÇATUBA

As adolescentes de Araçatuba têm a chance de se prevenirem, desde já, contra o câncer de colo do útero, um dos que apresentam maior incidência entre as mulheres. As UBSs (Unidades Básicas de Saúde) do município estão abertas para a aplicação da segunda dose da vacinação contra o HPV. Ontem, em entrevista, a secretária municipal de Saúde, Carmem Silvia Guariente, alertou o público jovem para a nova etapa da imunização. 

Os números, de acordo com ela, preocupam. De 1.137 meninas entre 9 e 14 anos aptas a tomar a vacina na cidade, apenas 322 receberam a primeira dose. A segunda, informou ela, atingiu apenas 16% do público feminino (ou pouco mais de 50 garotas) que recebeu a aplicação inicial. Entre os meninos, o percentual é ainda menor. Numa população de 1.242 garotos de 11 a 14 anos que podem tomá-la, apenas 7% (o equivalente a 87 deles) receberam a primeira dose. A segunda só chegou a 9% dos meninos que haviam tomado anteriormente.

“Países que têm alta taxa de vacinação de HPV nessa faixa etária não vivenciam os números que temos hoje de cancer de colo do útero”, destacou a titular da rede municipal de saúde, lembrando que, entre os meninos, a vacinação é importante para evitar a transmissão do HPV. Ela salientou que, só com as duas vacinas, a proteção total é garantida. “Para estar protegido, é necessário tomar as duas doses da vacina: uma primeira dose e, após seis meses, a segunda”, disse a secretária, que considerou alto o total de meninas a serem vacinadas.

A chegada da primavera é um período propício para a aplicação da segunda dose. “É importante que tenhamos comparecimento na segunda temporada. O tempo está quente. Conversem com seus amigos e compareçam às UBSs”, conclamou Carmem. Para ser vacinado, o adolescente deve levar ao posto de saúde sua carteira de vacinação e documento pessoal. A secretária de Saúde ressaltou que a ausência da carteirinha não é um impedimento para a vacinação. A recomendação de Carmem é para que o jovem compareça à unidade de saúde onde recebeu a primeira dose, onde, certamente, haverá o registro do paciente.

NACIONAL

A mobilização em Araçatuba não é isolada. No início deste mês, o Ministério da Saúde iniciou campanha publicitária para impulsionar a vacinação de adolescentes contra o HPV. O objetivo é atingir pelo menos 20,6 milhões de meninas de 9 a 14 anos e meninos, dos 11 aos 14, tanto para a primeira como para a segunda dose. 

De acordo com informações divulgadas pela Agência Brasil, o vírus HPV (Papilomavírus Humanos) é sexualmente transmissível e infecta pele e mucosas da boca ou das áreas genital e anal, provocando verrugas e diferentes tipos de cânceres em homens e mulheres (cólo do útero, anal, pênis, vagina, orofaringe).  

Segundo o ministério, cerca de 30% dos tumores provocados por vírus no mundo são causados pelo HPV. Para esta nova etapa da campanha, o governo federal investiu R$ 567 milhões para adquirir 14 milhões de vacinas.

Assim como a secretária de Araçatuba, o Ministério da Saúde também alerta que a cobertura contra o HPV só está completa com as duas doses. O intervalo entre a primeira e a segunda dose da vacina é de seis meses.

TEMPO

A campanha publicitária, cujo tema é “Não perca a nova temporada de Vacinação contra o HPV”, será veiculada até sexta-feira, dia 28. As escolas receberão material informativo para que professores, alunos e familiares possam debater sobre as doenças.

você pode gostar também