Andradinense e Seleção Brasileira conquistam ouro inédito no Japão

O andradinense Marco Antônio Ferreira Junior, de 20 anos, sagrou-se campeão de natação no revezamento 4x100m livre do Pan-Pacífico, disputado no mês passado em Tóquio (Japão). Seus companheiros foram Gabriel Santos, Marcelo Chierighini, Marco Antonio Ferreira Júnior e Pedro Spajari. A equipe brasileira terminou a prova com o tempo de 3m12s02. A conquista é histórica por ser o primeiro ouro que o Brasil ganha no nado 4×100 livre no Pan-Pacífico.

Marco Ferreira, conhecido como Marcão no Andradina Tênis Clube (ATC), onde treinou dos 7 aos 16 anos, atualmente é atleta do Minas Tênis Clube (MTC), de Belo Horizonte (MG), e depois da conquista do ouro com a Seleção Brasileira de Natação, foi recebido com festa (carreata e churrasco) na cidade natal.

A seleção americana terminou à frente do Brasil, mas foi desclassificada por trocar a ordem de seus nadadores durante a prova e, por isso, o ouro ficou com o quarteto brasileiro. Mesmo com apenas dois integrantes do revezamento vice-campeão Mundial em Budapeste (Hungria), o revezamento 4x100m livre do Brasil mostrou que é muito forte. Antes de ir para a capital japonesa, a Seleção Brasileira disputou competições preparativas na Itália e na França.

O professor Jonílcio Avelino da Silva, o Careca, de Andradina, treinou Marco Ferreira dos 7 aos 16 anos no ATC/Apan (Associação de Pais Amigos da Natação). Marcão, como é chamado pelo professor, é especialista nos 100 metros livre. Em 2015, ele se transferiu para Presidente Prudente e no ano seguinte para o Sport Club Corinthians Paulista (de São Paulo) e de lá, em 2017, foi para o Minas Tênis Clube, onde está até hoje.

Neste ano o andradinense foi convocado para a Seleção Brasileira depois de ter participado com destaque do Troféu Maria Lenk, no Rio de Janeiro. Com a equipe brasileira, disputou o Sul-Americano em Cochabamba (Bolívia), sua primeira competição internacional, conquistando duas medalhas de prata nos revezamentos 4×100 livre e 4×100 medley.

De acordo com a Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) o desempenho da equipe brasileira em Tóquio é histórica, foi pois é a primeira vez que o Brasil conquista uma medalha de ouro nos 4×100 livre no Pan-Pacífico. O foco de Marco Ferreira Júnior passa a ser a Olimpíada de Tóquio, no Japão, em 2020.

Da Redação

você pode gostar também