Doria fala em mais 300 policiais para a região, caso ganhe eleição

ARNON GOMES – ARAÇATUBA

O candidato a governador João Doria (PSDB) disse ontem que, se eleito, a região de Araçatuba ganhará mais 300 policiais. Segundo ele, esses oficias farão parte do Batalhão Especial da Polícia Militar, que virão para os 43 municípios no padrão Rota – a tropa de elite da PM paulista. “E com a Rota, ninguém brinca. São 300 policiais que virão para cá, fortemente armados, treinados, preparados e com equipamentos também”, declarou o tucano durante entrevista coletiva em Araçatuba, onde cumpriu agenda de campanha na noite dessa sexta-feira.

A proposta foi apresentada quase um ano depois do Caso Protege – o mega-assalto à sede da empresa de transporte de valores Protege, que resultou no roubo de R$ 10 milhões, mortes e destruições. O episódio, registrado em outubro de 2017, é considerado o maior assalto da história do município. 

Doria disse que, apesar de considerar “razoável” a situação da segurança pública na região, há necessidade de avanços. “Precisamos melhorar, sobretudo, a sensação de segurança”, enfatizou. Outro plano do postulante do PSDB é a implantação de um Deic (Departamento Estadual de Investigações Criminais) regional. “E uma ação integrada com a Guarda Municipal. Portanto, teremos três setores de segurança pública integrados debaixo do manto do COI (Centro de Operações Integradas – Polícia Civil, Polícia Militar e Guarda Municipal. 

PRIMEIRA VEZ

Doria atendeu a imprensa no aeroporto estadual Dario Guarita, onde desembarcou perto das 18h, acompanhado do vice em sua chapa, Rodrigo Garcia (DEM). Recepcionado por prefeitos de cidades da região e pelo candidato a deputado federal Marco Pilla (PSDB), de Andradina, Doria esteve pela primeira vez, como político, em Araçatuba.

Homem de carreira no meio empresarial e também na mídia, ele surprendeu os repórteres com um “briefing” antes de começar a responder as perguntas. Ou seja, fez uma breve explanação de seus planos para a região nessa campanha. E foi justamente durante esta apresentação que relatou sua proposta para a segurança pública. “Em Araçatuba, vim para trazer soluções do governo do Estado, caso eleito”, declarou, naquele momento. 

Em seguida, postulante tucano ao Palácio dos Bandeirantes falou sobre desenvolvimento econômico, saúde e educação. Defendeu a geração de empregos e de renda e a parceria com o setor privado para avançar a indústria, o comércio e o agronegócio, carro-chefe da economia regional. “O Estado tem quase cinco milhões de desempregados, fruto da péssima gestão do PT, sobretudo na gestão Dilma Rousseff. São Paulo precisa gerar empregos. Precisa gerar oportunidades e essa é uma região (de Araçatuba) onde nós vamos investir, trazendo novos investimentos privados para o agronegócio, a indústria e o setor de serviços”, afirmou Doria. 

Ainda em relação a trabalho, Doria falou na redução da burocracia e na desoneração fiscal, com compromisso do setor privado na geração de empregos. “São Paulo é o maior centro de consumo da América Latina. Não faz sentido que as empresas saiam daqui para outros estados para pagar custos de logísticas, seguros… O que nós temos de fazer é facilitar a vida dos empresários e não dificultar”, analisou. 

SAÚDE

Questionado sobre suas propostas para a saúde, onde está um dos maiores gargalos enfrentados pela população, Doria defendeu o aprimoramento da gestão das santas casas. “Precisamos de gestão eficiente, de uma admnistração como se fosse uma entidade privada”, disse. Outra saída, segundo ele, é usar a “força do Estado” para conseguir mais investimentos federais no setor. “É justo e razoável que o Ministério da Saúde invista na saúde de um estado que tem 45 milhjõres de habitantes. Isso, com a nossa ascenção ao governo do Estado vai acontecer.”

você pode gostar também