BITUCA DE CIGARRO PODE TER CAUSADO INCÊNDIO ÀS MARGENS DA RONDON

Foram oito horas de combate que começou durante a tarde de quarta-feira (15) e só terminou já na madrugada de quinta. Mais de 20 homens do Corpo de Bombeiros e funcionários de uma usina participaram dos intensos trabalhos às margens da rodovia Marechal Rondon (SP-300). Depois da situação ter sido controlada, a dimensão do prejuízo: parte da propriedade rural, que tem o equivalente a 200 campos de futebol, foi destruída pelo fogo. O Corpo de Bombeiros de Araçatuba estima que a área queimada possa chegar a 250 campos de futebol.
Logo nas primeiras horas da manhã de ontem, parte da equipe teve que ser chamada novamente para o quilômetro 529 da rodovia, no sentido capital/interior, pois havia um novo foco de incêndio. Segundo o tenente da corporação, Romel Chaparro, a situação foi rapidamente controlada.
“Na parte da manhã tivemos uma reignição do fogo, o incêndio recomeçou, mas o Corpo de Bombeiros fez um monitoramento durante toda a madrugada desse sinistro. Novas equipes voltaram ao local e conseguiram extinguir o foco”, disse à reportagem do jornal O LIBERAL REGIONAL.
Foram muitas horas de trabalho. O combate às chamas teve início por volta das 17h20 e só foi terminar a 1h30 do outro dia. De acordo com os Bombeiros, o fogo começou bem às margens da Rondon, em um bambuzal existente ali. Por conta da vegetação seca e o forte vento, o incêndio se alastrou rapidamente e atingiu o restante da área de pastagem da propriedade rural.
“Acreditamos que uma bituca de cigarro ou até mesmo algum tipo de lixo possam ter causado o incêndio. A vegetação está muito seca e ventava bastante, mais um fator importante para desencadear o início das chamas”, complementou o tenente.
A Perícia deve apontar nos próximos dias as verdadeiras causas do incêndio. As chamas foram tão intensas que chegaram a interditar por alguns minutos o quilômetro 529 da rodovia, já que os bambus existentes na marginal começaram a cair sobre a pista, oferecendo riscos aos motoristas que ali passavam.
Ontem de manhã, outras equipes da concessionária que administra o trecho foram até o local para terminar de fazer a limpeza da área. Ainda podiam ser vistas algumas fumaças no meio da propriedade, mas segundo os bombeiros não havia mais nenhum risco do incêndio recomeçar.
“Essa fumaça não apresenta risco. Ela é vapor de água devido ao intenso calor do solo e a água dos caminhões da corporação, que ainda permanece desde a noite de quarta-feira”.
Uma grande operação foi montada justamente para impedir que as chamas chegassem a uma área de preservação permanecente, já próxima ao Rio Baguaçu e às residências que ali se encontram. No início foi até mesmo cogitado o uso de aeronaves, como o helicóptero Águia, da Polícia Militar, mas logo a hipótese foi descartada por conta da chegada do anoitecer, o que impossibilitou o trabalho aéreo.

ALERTA
A escassez de chuvas na região de Araçatuba torna-se uma preocupação a mais, já que a vegetação seca é propícia a incêndios em grandes proporções. Recentemente, Andradina foi palco de duas ocorrências do tipo, uma delas por pouco não terminou em algo ainda pior, já que o fogo se alastrou e quase atingiu um frigorífico, responsável por boa parte da economia local.
Por isso, os Bombeiros pedem a colaboração de toda a população a respeito de não jogar lixo ou até mesmo algo que possa iniciar um incêndio, seja às margens das rodovias, ou em qualquer terreno baldio.
“Pedimos o apoio de toda a população para que não jogue lixo ou bituca de cigarro nas rodovias para evitar novos incêndios como esse”, concluiu o tenente da corporação.

Vitor Moretti
Araçatuba

você pode gostar também