CRIMINOSAS ESBARRAM EM DONA DE CASA E FURTAM QUASE R$ 10 MIL

Um tipo de crime muito comum nas capitais, principalmente em São Paulo, foi registrado em Araçatuba na tarde de terça-feira (07). Uma dona de casa de 52 anos perdeu quase dez mil reais depois de ser furtada dentro da Riachuelo, no Calçadão da rua Marechal Deodoro da Fonseca, no Centro da cidade. As criminosas usaram o método da “trombadinha”, termo usado pela polícia quando os bandidos trombam nas vítimas e conseguem praticar o furto.

De acordo com informações do boletim de ocorrência, a vítima procurou a Central de Flagrantes logo depois de perceber que havia sido furtada e as suspeitas de terem praticado o furto fizeram diversos saques nas contas bancárias da declarante.

Ela estava no interior do estabelecimento comercial no fim da manhã quando percebeu a aproximação de duas mulheres. A dupla trombou na vítima e aproveitaram essa oportunidade para abrir a bolsa dela e furtar a carteira. A dona de casa contou aos investigadores que a ação foi muito rápida e ela não conseguiu perceber o crime.

Logo em seguida, as criminosas chegaram a pedir desculpas pelo ocorrido e foram embora como se nada tivesse acontecido. Acontece que dentro da carteira da vítima havia a quantia de mil reais em dinheiro, diversos cartões bancários e documentos pessoais. Alguma horas depois, ao abrir a bolsa, ela percebeu que a carteira já não estava mais lá e lembrou do que havia acontecido minutos antes, suspeitando das duas mulheres.

Com medo do que as autoras pudessem fazer com seus documentos e cartões, a mulher foi até a agência bancária na qual possui conta e descobriu diversas movimentações financeiras, com saques das poupanças da vítima e dos filhos no valor de R$ 8.640,00. Na sequência, a dona de casa decidiu procurar a Polícia Civil para registrar boletim de ocorrência.

O caso foi registrado como furto e o delegado plantonista abriu inquérito pelo segundo distrito policial do município para dar andamento às investigações. Imagens das câmeras de segurança do comércio serão solicitadas para que os policiais tentem identificar as mulheres envolvidas no crime. Apesar disso, até o fechamento desta edição, elas continuavam foragidas.

CRIME DA CAPITAL
Esse tipo de crime, quando os bandidos acabam esbarrando nas vítimas, é muito comum nos grandes centros, de acordo com o delegado da Polícia Civil Getúlio Nardo. Todos os dias, centenas de casos do tipo são registrados no Brás, na capital paulista, por exemplo. Eles aproveitam a grande movimentação de pessoas, esbarram nos alvos e aproveitam da situação para furtar bolsas, celulares e até mesmo carteiras.

“Esse crime, da ‘trombadinha’, realmente é mais comum nos grandes centros. Não percebemos esse tipo aqui em nossa região. Por isso, sempre orientamos para que as pessoas deixem as bolsas sempre viradas para frente. Quando sentir algo estranho, puxe-a para trás para que fique em um lugar seguro e evite algum furto. A mesma dica vale para quem está dirigindo. Nunca deixe a bolsa em cima dos bancos e, sim, embaixo deles”, orientou.

Vitor Moretti

você pode gostar também