REDUZIR FILA DE ESPERA NA MAMOGRAFIA AINDA É DESAFIO APÓS MUDANÇA

Dois meses após a mudança de local dos exames de mamografia pela rede municipal de saúde, diminuir a lista de espera pelo procedimento ainda é um desafio em Araçatuba. Segundo a Prefeitura, pelo menos até 20 de junho, 1.015 mulheres aguardavam a realização do exame considerado essencial para a prevenção do câncer de mama, com data de solicitação a partir de janeiro deste ano. A informação consta em resposta do município a requerimento de autoria do vereador Arlindo Araújo (PPS).
De acordo com reportagem publicada por O LIBERAL REGIONAL em 9 de maio, desde o dia 1º daquele mês, a mamografia tem novo endereço: o AME (Ambulatório Médico de Especialidades) e a clínica particular Tomossom. A mudança ocorreu em virtude do término contratual, em 30 de abril, com a empresa Ambrósio & Ambrósio Radiologia, que desde 2009 prestava o serviço no Hospital da Mulher. Foi essa transferência que motivou o requerimento do parlamentar da oposição, aprovado em 7 de maio pela Câmara.
Ontem, em nota enviada a este jornal, a Prefeitura reconheceu que a demanda por exames tem sido grande, mas sustentou que a lista de espera não está fora dos parâmetros considerados normais. “A administração, no entanto, com a contratação da nova empresa, pretende baixar o tempo de espera para a metade, atendendo até mesmo os casos menos graves em um prazo de até 30 dias”, diz o texto enviado pela assessoria de imprensa.

ECONOMIA
Os contratos de prestação de serviço, tanto com o serviço estadual como com o particular, foram a forma encontrada pela gestão do prefeito Dilador Borges (PSDB) para não prejudicar o atendimento às pacientes. A administração municipal também acredita que, dessa forma, fará economia. Antes, o poder público local pagava, mensalmente, por 550 atendimentos, sendo que o índice de mulheres que não compareciam às consultas chegava a 30%. Por isso, com a nova gestão do serviço, passou a pagar por atendimento efetivamente realizado. Por exemplo, se forem feitos 30 exames no mês, paga-se por essa quantidade e assim por diante.
Segundo a resposta ao pedido de informação de Arlindo, o valor pago por exame é o tabelado pela referência do SUS (Sistema Único de Saúde) – R$ 22,50 (unilateral) e R$ 45,00 (bilateral – rastreamento). Outro motivo que levou a gestão tucana a não continuar o contrato com a Ambrósio & Ambrósio foi o fato de a antiga prestadora do serviço ter pedido de 25,64% de reajuste. Os valores mensais passariam de R$ 27 mil para R$ 33.922,80.
“Conforme informação da Secretaria Municipal de Saúde, para o mês de maio, foram distribuídas 165 cotas, que são mensais, sendo 108 para Araçatuba e 57 para região. Foram realizados 112 exames, sendo 79 para Araçatuba e 33 para região”, diz o documento. A manifestação do Executivo diz ainda que a Tomoson não registra ausências, pois, quando a paciente não comparece, os exames são remarcados. Porém, informa que as faltas são poucas.

ARNON GOMES
Araçatuba

você pode gostar também