TRAGÉDIA: CORPOS DAS CINCO VÍTIMAS DE ACIDENTE SÃO ENTERRADOS NA REGIÃO

A terça-feira (10) amanheceu fria e nublada na pequena General Salgado, município de pouco mais de dez mil habitantes. O dia começou em silêncio para parentes e amigos dos três jovens mortos em uma batida na tarde de segunda-feira na rodovia Feliciano Sales Cunha (SP-310). Além dos rapazes, um casal também não resistiu aos ferimentos e morreu, totalizando cinco mortes. Duas filhas dos idosos e um genro continuam internados em hospitais da região de Araçatuba e São José do Rio Preto.

A batida aconteceu por volta das 16h30 o feriado da Revolução Constitucionalista. De acordo com informações apuradas pela reportagem do jornal O LIBERAL REGIONAL, testemunhas contaram em depoimento à polícia que os três amigos, identificados como Luiz Paulo Amaral do Nascimento, 18, Ítalo Magno Filadeufo, 18 e João Otávio Araújo Ribeiro, de 17 anos, voltavam de uma festa no distrito de São Luiz do Japiúba e seguiam em direção a General Salgado, cidade em que moravam.

Luiz Paulo estaria na direção do veículo VW/Gol pela rodovia quando na altura do quilômetro 553 tentou ultrapassar um caminhão. Nesse momento, o carro acabou atingindo o segundo automóvel Ford/Fiesta frente. O carro era conduzido por Afonso Cardoso, de 74 anos. Ele morreu no local. A esposa, Fátima Cardoso, 54, chegou a ser socorrida com vida e foi transferida para o pronto-socorro da Santa Casa de Araçatuba com ferimentos graves.

Ela também não resistiu aos ferimentos e morreu por volta das 22h na unidade hospitalar. As duas filhas do casal, uma delas grávida de cinco meses, e um genro, sobreviveram e estão internados na Santa Casa de Araçatuba e no Hospital de Base de São José do Rio Preto. O estado de saúde dos três é considerado estável. Os cinco ocupantes voltavam de um almoço em família.

RESGATE

Unidades do Corpo de Bombeiros de Araçatuba e Jales foram acionadas para o local da batida e auxiliaram na remoção dos corpos e no resgate das outras vítimas. A pista precisou ficar parcialmente interditada por aproximadamente três horas até que todos os veículos fossem removidos e a pista limpa.

A Polícia Civil de General Salgado abriu inquérito para investigar o que pode ter causado o acidente. O laudo da Perícia deverá ficar pronto nos próximos dias, assim como os exames necroscópicos realizados em todas as vítimas que não resistiram.

FATALIDADE

Na manhã de terça-feira (10), a reportagem foi ao local do acidente. Sapatos, sandálias, diversas peças dos carros e até mesmo documentos ainda podiam ser encontrados. Marcas de frenagem podiam ser vistas no lado esquerdo da via. Um homem, que mora em um sítio às margens da rodovia, estava no local. Ele escutou o barulho da batida.

“Eu só escutei o barulho da batida, mas não tinha vindo até aqui ainda para ver. É uma tragédia muito grande. Eu conhecia o Afonso, tinha sítio aqui perto. Um homem muito bom, a família toda muito boa. É uma fatalidade que isso possa ter acontecido com eles”, lamentou o sitiante.

VELÓRIO

Os corpos dos três jovens foram velados juntos na capela municipal de General Salgado. O prefeito do município, Leandro de Oliveira, decretou luto oficial de três dias por conta do que aconteceu. O pai de um deles, muito abalado, ainda se perguntava como tudo aconteceu. “Eu fui trabalhar e deixei meu filho dormindo. Eu não vi mais ele”, contou chorando.

Centenas de pessoas compareceram ao velório durante todo o dia. Amigos e parentes ainda custavam a acreditar em tamanha tragédia. Os corpos foram enterrados na sequência, às 15h, 16h e 17h no cemitério da cidade.

Já os velórios de Afonso e Fátima aconteceram em Auriflama, cidade a 22 quilômetros de distância de General Salgado. O sepultamento ocorreu às 17h, no cemitério da cidade.

você pode gostar também