MORRE MULHER BALEADA POR RAPAZ QUE INTEGRAVA GRUPO DE ÓDIO

Morreu na noite de quinta-feira (05), na Santa Casa de Araçatuba, a jovem Luciana de Jesus do Nascimento, de 27 anos. Ela estava internada desde o último dia 16 de junho depois de ter sido baleada na nuca por André Luiz Gil Garcia, em Penápolis. O rapaz praticou o crime depois que a mulher negou-se a sair com ele. O autor tirou a própria vida em seguida com um tiro no tórax.

André fazia parte de um grupo de ódio contra mulheres, homossexuais e negros na internet. De acordo com o boletim de ocorrência, a vítima estava com uma amiga sentada em um banco, próximo ao camelódromo de Penápolis. As duas conversavam no momento em que o suspeito, de 29 anos, se aproximou. Ele começou a assediar as jovens, que, assustadas, levantaram-se e começaram a andar depressa, na tentativa de se livrar do homem.

Ele continuou as perseguindo e convidou Luciana para sair com ele. A mulher negou e continuou andando. Nesse momento, o investigado sacou uma garrucha, de calibre 22, que estava presa na cintura, e em um ato de crueldade atirou pelas costas da vítima. O tiro atingiu a nuca dela. A amiga conseguiu fugir e não teve nenhum ferimento.

Após tentar assassinar a mulher, o homem fugiu desesperadamente por diversas ruas da cidade a pé. Ele foi encontrado por uma viatura da Polícia Militar já próximo ao Terminal Rodoviário. Percebendo que estava cercado, o rapaz sacou novamente o revólver e atirou contra o próprio peito. Ele chegou a ser socorrido com vida até ao pronto-socorro da Santa Casa de Penápolis, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

Já a vítima que foi baleada também foi socorrida por uma unidade do Resgate, do Corpo de Bombeiros, até a Santa Casa. Por conta da gravidade dos ferimentos, a jovem teve que ser transferida para a Santa Casa de Araçatuba, onde ficou internada por quase um mês. A arma usada no crime foi apreendida pelos policiais militares e passou por perícia técnica.

GRUPOS DE ÓDIO

Segundo informações apuradas pela reportagem do jornal O LIBERAL REGIOANL, André integrava um grupo de ódio na internet. Lá, o rapaz era conhecido como ‘Kyo’, e desde 2011 reproduzia discursos de ódio contra mulheres nas redes sociais. Ele inclusive deixou diversos grupos gravados.

Por meio de um fórum anônimo de discussões, o homem informou que cometeria suicídio, e foi incentivado pelo grupo a levar uma pessoa da “escória”, que, para eles, seria uma pessoa impura. A declaração foi publicada horas antes do crime cometido contra Luciana.  Ele ainda deixou uma mensagem de despedida na página. “Vou quitar desse mundo. Os impuros não me tocam”.

Por conta dessa situação, a Polícia Civil abriu inquérito para continuar investigando o caso e a participação de outros integrantes do grupo. O laudo da perícia técnica deve ficar pronto nos próximos dias.

você pode gostar também