EXPÔ COMEÇA HOJE COM FOCO NA SUSTENTABILIDADE E NA GENÉTICA

Começa hoje a 59ª Exposição Agropecuária de Araçatuba. O evento vai reunir animais de fazendas da região melhorados geneticamente e mostrar a vocação da cidade como grande exportadora de genética de bovinos, equinos e ovinos. Ao mesmo tempo, a Expô apresenta modelos sustentáveis de produção rural por meio da energia solar fotovoltaica que será gerada pela Ecori, empresa especializada no segmento, que vai alimentar várias atrações do Agro Siran. Sustentabilidade e genética serão os pilares da exposição deste ano. Na área artística, Sahmara, Jorge e Matheus e Jetlag serão a atração nos dois palcos montados nas extreimidades da pista coberta.
O potencial exportador dos criadores de Araçatuba será mostrado durante a Feira Genética no período de 10 a 14 nos pavilhões de animais. Da cidade, saem touros reprodutores, cavalos melhorados geneticamente e ovinos de elite para o Brasil inteiro.
E são justamente esses animais, responsáveis pelo melhoramento genético de suas raças nas fazendas da região e do Brasil, que estarão expostos na feira deste ano. Muitos deles, inclusive, pertencem a propriedades que integram importantes programas de melhoramento genético, como a ANCP – Associação Nacional de Criadores e Pesquisadores, PMGZ/ ABCZ – Programa de Melhoramento Genético de Zebuíno, Geneplus/Embrapa – Programa de Melhoramento de Gado de Corte.
“Será uma mostra regional de grandes criadores que estão retornando à exposição e vão apresentar os seus melhores animais, cujas características garantem a eficiência produtiva da pecuária”, explica o presidente do Siran (Sindicato Rural da Alta Noroeste), Fábio Brancato. Fazenda Guadalupe, Fazenda Tradição, Fazenda Terra Boa, Agropecuária São Lucas e Veiga Agropecuária, Nelore Myo e Fazenda Bela Alvorada são alguns dos criatórios que estão voltando ou estreando nos pavilhões da Expô. Tradicionais expositores como Ônix e Zeus, Chin-Chinelo Senepol, Brahman Vitória e SEG Brahman também confirmaram participação.
A Feira Genética vai ocupar dez pavilhões para exposição das raças bovinas Nelore, Brahman, Tabapuã, Brangus, Senepol, Sindi, Girolando, e Gir; as ovinas Suffolk e Dorper; e as equinas Quarto de Milha e Mangalarga, todas com características especiais que demonstram a genética disponível na região para ser levada a todo o país. As fazendas podem, ainda, apresentar suas matrizes, que também são resultado da seleção genética.
“Hoje, as exposições vão além das pistas de julgamento. A maioria aposta em expor animais oriundos de seleção baseada em programas de melhoramento genético que têm como objetivo produzir os futuros reprodutores melhoradores que disseminarão sua genética na vacada de corte comercial. Estas têm a função de produzir os animais que irão para o abate com um ciclo mais curto, aumentando a eficiência produtiva da pecuária”, explica a zootecnista Daniele Marques Almeida, que desde 2007 organiza os julgamentos da raça Nelore na Expô Araçatuba e neste ano foi contratada pelo Siran para coordenar a Feira Genética.
Credenciada pela ANCP (Associação Nacional de Criadores e Pesquisadores), de Ribeirão Preto, e especialista em seleção genética, Daniele percorre as principais feiras agropecuárias do país e explica que esse novo modelo de exposição consiste em apresentar animais com características funcionais, como ganho de peso, habilidade maternal, precocidade sexual e de carcaça, entre outros índices produtivos, valorizando-os na comercialização. “As fazendas que investem nesses critérios de seleção estarão em Araçatuba”, destaca.
A zootecnista explica que, ao falar da Feira Genética, deve-se pensar em animais criados a pasto e suplementados com sal mineral, ou seja, em conformidade com a realidade da criação brasileira. “Queremos mostrar a seleção das raças que temos na região, valorizando nosso tradicional polo genético, de grande importância no país”, afirma.

DA REDAÇÃO
Araçatuba

você pode gostar também