HOSPITAL CENTRAL É CREDENCIADO PARA ATENDIMENTOS DE MÉDIA E ALTA COMPLEXIDADE

Araçatuba passa a ser referência também para os 40 municípios que compõem a regional DRS2 para atendimentos oftalmológicos pelo SUS, de média e alta complexidade, com o credenciamento do Hospital Central, que prestará os atendimentos a uma região com população de 900 mil pessoas. Essa é uma grande conquista que vem para reduzir a demanda reprimida na especialidade, cujos atendimentos eram centralizados somente em Buritama.

De acordo com a administradora do Hospital, Nancy Ferreira da Silva Cunha, os pacientes do SUS serão atendimentos por profissionais altamente qualificados em uma moderna estrutura, que é a do Hospital Central. Ela disse que com o credenciamento, Araçatuba será uma opção a mais para que os municípios possam agilizar os encaminhamentos acabando com a demanda reprimida. “Sabemos que hoje as filas de espera são longas, e agora este novo centro contribuirá para mudar este cenário. Somente em Araçatuba estima-se que 10 mil pessoas estão aguardando por atendimento médico oftalmológico”, disse.

O Hospital vai realizar, pelo SUS, desde consultas até cirurgias, como catarata e glaucoma. Todo o agendamento será feito pelas prefeituras, e o Hospital não terá gestão sobre o encaminhamento destas demandas, ou seja, os pacientes devem chegar com agendamento da unidade de saúde do município onde reside.

O credenciamento foi oficializado nesta quinta-feira durante solenidade com a participação do ministro da Saúde, Gilberto Occhi e do deputado federal Fausto Pinato, que ajudou nos trâmites burocráticos no Governo Federal para viabilizar este credenciamento. Nas próximas semanas a administração do Hospital Central vai cuidar dos trâmites burocráticos para, em aproximadamente 40 dias, iniciar os atendimentos.
Nancy explicou que alguns procedimentos de alta complexidade de oftalmologia via SUS eram feitos somente em São Paulo, e agora o Hospital Central vai oferecer todos os tipos de tratamento, proporcionando inclusive mais humanização e comodidade aos pacientes, evitando viagens longas, como este exemplo da capital.

O ministro anunciou que com o credenciamento o Ministério da Saúde vai disponibilizar R$ 2,4 milhões por ano para a demanda regional que será atendida no Hospital Central. Este é um credenciamento permanente que terá continuidade e a proposta, que já está em fase de estudos, segundo Occhi, é expandir os atendimentos oftalmológicos aos alunos da rede pública de ensino.

Da Redação

você pode gostar também