VISITANTES DA EXPÔ PODERÃO CONHECER A EQUOTERAPIA

A equoterapia é uma atividade terapêutica que utiliza o cavalo como agente cinesioterapêutico, educacional e social. Este ano, a Exposição Agropecuária de Araçatuba (de 6 a 15 de julho) vai dar a oportunidade ao público de conhecer um pouco mais sobre essa prática, por meio da parceria feita com a HSC Equoterapia Araçatuba. Os sócios-proprietários Henrique Sartori Coutinho e Carolina Vicentini Verdi estarão atendendo a população com uma equipe.

Prática

95% do público da HSC Equoterapia Araçatuba são de pessoas apresentam alguma deficiência, mas não é uma terapia voltada só para elas. “Uma criança que tem uma hiperatividade ou dislexia, ela pode ser atendida, desde que seja com o profissional correto”, explica Carolina. Dessa maneira, uma criança que tem dislexia deve ser acompanhada por um fonoaudiólogo e um pedagogo. O adulto que tem uma disfunção motora ou problema neurológico terá o acompanhamento de um fisioterapeuta.

Os benefícios são inúmeros para a pessoa que está sobre o cavalo, além dos ganhos motores, psíquicos, sensitivos e sociais. “O cavalo produz para a pessoa que está sobre ele o que chamamos de movimento tridimensional e esse movimento desloca o praticante em alguns eixos”, esclarece a fisioterapeuta. A sessão é de 30 a 40 minutos – em cima do cavalo são apenas 30 minutos; o restante é dividido entre o início e o final para fazer uma interação e uma despedida com o paciente.

O movimento tridimensional é o deslocamento anteroposterior, lateral, superior e rotação de quadril. Esses movimentos fazem com que o praticante tenha todos os ganhos necessários. Carolina exemplifica: “Uma criança hipertônica relaxa, porque o cavalo transmite movimentos que trazem a adequação do tônus. E o movimento que desloca o paciente a todo o momento trabalha a força muscular, obtendo mais um ganho”.

É importante lembrar que essa terapia também trabalha o equilíbrio do praticante, pois o cavalo está em desequilíbrio constante, ele perde e retoma a estabilidade e nesse perder e retomar, quem está sobre ele apenas ganha.

Segundo Maiara Ribeiro de Carvalho Gomes, mãe da paciente Lorena Carvalho Oliveira, de 10 anos a equoterapia ajudou a melhorar muito a postura e a força da filha. “Ela melhorou muito o controle de tronco e a postura depois que começou a fazer as sessões no centro HSC”, conta Maiara.

A criança teve, após o nascimento, uma paralisia cerebral que afetou os membros inferiores. “Ela tem bastante fraqueza, não chega a perder o movimento, mas perdeu a força”, explica a mãe. Ela leva a filha ao centro uma vez por semana, com sessões de 40 minutos.

 Programas

A Associação Nacional de Equoterapia (Ande Brasil) dispõe de quatro programas de atendimento. Eles são: a hipoterapia para pessoas que dependem da condução do profissional, a educação e reeducação para pessoas que não são 100% dependentes do profissional para conduzir o cavalo, o pré-esportivo para o praticante que sai do intuito terapêutico e começa a praticar de forma lúdica e as atividades paraequestres, que acontecem quando o praticante já está em nível de competição.

Atualmente, a HSC Equoterapia atende 70 pessoas. Além do convênio com o curso de fisioterapia do UniSalesiano de Araçatuba, o centro tem parceria com as prefeituras de Clementina, Guararapes, Bento de Abreu, Santo Antônio do Aracanguá e com a instituição Ritinha Prates. A equipe levará para a Expo Agro cavalos para demonstrar técnicas equoterápicas para o público que estiver no espaço.

DA REDAÇÃO
Araçatuba

você pode gostar também