MULHER CONFIRMA DADOS POR TELEFONE E CAI EM GOLPE

A Polícia Civil de Araçatuba abriu inquérito para investigar cobrança indevida contra uma empresária de 27 anos. O caso foi registrado na Central de Flagrantes do município na noite de sexta-feira (29).

De acordo com informações do boletim de ocorrência, a vítima recebeu uma ligação telefônica de uma mulher que se identificou apenas como Ana Paula. Ela informou que precisava confirmar alguns dados da empresa da declarante para atualização do serviço de lista telefônica.

A mulher, sem perceber que estava caindo em um golpe, fez a confirmação e ficou aguardando receber um e-mail com os dados. Alguns dias depois, a empresa mandou a mensagem e nela continha a aquisição de um contrato, no valor de R$ 498 por mês. A empresária contou em depoimento aos investigadores que não fechou nenhum tipo de documento e logo depois de cair no golpe sofreu ameaças a respeito da negativação do nome.

Diante dos fatos, a polícia registrou o caso como estelionato e abriu um inquérito pelo primeiro distrito policial do município. Os investigadores tentarão encontrar os representantes da empresa e ouvir a gravação do telefone para melhor apuração do crime. Até o fechamento desta edição, ninguém havia sido identificado.

LINHA TELEFÔNICA

No mesmo dia, outra empresária, de 48 anos, procurou a delegacia de Araçatuba informando que havia caído em um golpe em Cassilândia, Mato Grosso do Sul. Ela informou aos policiais em depoimento que ao tentar trocar de operadora de telefonia móvel foi informada que indivíduos desconhecidos abriram oito contas telefônicas em nome da declarante em janeiro deste ano.

A mulher descobriu que o crime foi feito em Cassilândia, município nunca visitado pela mulher. A vítima descobriu ainda que os estelionatários chegaram a falsificar a assinatura dela no contrato, que tem valor de aproximadamente R$ 20 mil. A empresária ainda não teve nenhum prejuízo financeiro com o golpe, mas registrou o boletim de ocorrência para resguardar os direitos.  O caso também será investigado pela Polícia Civil de Araçatuba.

você pode gostar também