ARAÇATUBA ‘PARA’ DURANTE JOGO DA SELEÇÃO BRASILEIRA NA COPA DO MUNDO

A sexta-feira (22) amanheceu atípica, com jeito de domingo. Às nove da manhã, lojas fechadas e ruas e avenidas praticamente desertas. O segundo jogo da Seleção Brasileira na Copa Do Mundo, dessa vez contra a Costa Rica, fez com que muita gente conseguisse a tão esperada folga no trabalho. Pelo horário, as padarias ficaram lotadas. O resultado foi que muita gente trocou o tradicional churrasco e a cerveja pelo café da manhã.

O araçatubense acordou cedo. Às 6h30 já era possível escutar o estouro de rojões nos quatro cantos do município. O brasileiro estava animado e esperançoso com a tão esperada vitória no Mundial, que até então estava difícil de acontecer. Logo nas primeiras horas do dia, muita gente saiu de casa, não para trabalhar, mas tentar achar um bom lugar para assistir ao jogo da seleção. Outros preferiram ficar em casa, mas sempre de olho na televisão para não perder nenhum lance.

Em uma padaria localizada na rua Bandeirantes, o clima era de festa. Com praticamente todas as mesas ocupadas, os clientes se serviram com um farto café da manhã. A cada lance perigoso, uma angústia. Quem conseguiu uma folga durante toda a sexta, se arriscou a comer salame, queijo e beber cerveja bem cedo, sem nenhuma preocupação.

Os torcedores estavam otimistas. A reportagem do jornal O LIBERAL REGIONAL perguntou a dois deles o palpite para o jogo. O primeiro estava desanimado com o que estava vendo e disse que o Brasil faria apenas um gol. Já outro torcedor estava mais esperançoso e fez a previsão de três gols para a seleção. Conforme os minutos iam passando, a apreensão aumentava. Os dois únicos gols da partida só saíram nos últimos minutos de jogo.

MOVIMENTAÇÃO
Em outro ponto da cidade, na área central, um shopping era o único comércio aberto no Calçadão. Quem encontrou as portas do estabelecimento abertas não pensou duas vezes e foi até a praça de alimentação para acompanhar cada lance do jogo em diversos televisores. As outras lojas do Centro ficaram fechadas até o fim do jogo.

Ainda assim, alguns funcionários do comércio, que são de outras cidades, aguardavam a abertura dos estabelecimentos. O jeito foi sentar nos bancos e esperar, mas todos sempre ligados nas notícias do andamento da partida pelo celular.

Na Rua do Fico até parecia feriado. Poucos carros trafegaram por ali entre 9h e 11h. Os enfeites, nas cores verde e amarelo, embelezaram a via e fizeram jus ao dia decisivo. A cidade praticamente parou durante duas horas. As escolas estaduais não tiveram aulas. Já a Prefeitura, o Atende Fácil, as escolas municipais e os bancos abriram às 13h. O Poupatempo e o Procon iniciaram seus serviços às 14. Os únicos órgãos públicos que não deixaram de funcionar foram o Pronto-Socorro Municipal e a Guarda Civil Municipal.

Não foi todo mundo que conseguiu folgar. Aqueles que não tiveram como escapar até trabalharam, mas sempre com o olho na televisão. Foi o caso da garçonete Ana Lúcia. Ela aproveitou o ambiente de trabalho para fazer as duas coisas: torcer pelo Brasil e atender os clientes que ali estavam assistindo.

“Entrei no serviço às 5h30, mas estou aqui, firme e forte para ver a seleção ganhar e atender os clientes”, contou.

No fim do jogo, o alívio: uma vitória de 2 a 0 contra a Costa Rica. Mesmo assim, os torcedores ouvidos pela reportagem não gostaram do que viram. Muitos acreditam que o Brasil sofreu bastante para vencer os costarriquenhos. Agora, que venha a Sérvia.

Vitor Moretti

você pode gostar também