GOLPES SOMAM QUASE R$ 26 MIL EM DINHEIRO E ELETRÔNICO

Os crimes de estelionato continuam preocupando a população e autoridades de Araçatuba. Cada vez mais, a ousadia dos criminosos é maior. Em um intervalo de poucas horas, duas pessoas foram alvos e procuraram a delegacia da cidade para registrar boletim de ocorrência.

A primeira vítima foi um comerciante de 61 anos. O homem contou em depoimento aos investigadores que recebeu um telefonema de uma mulher, que se identificou como Jaqueline.

A estelionatária disse ser funcionária de um escritório de cobrança e informou ao declarante que ele possuía uma pendência financeira junto ao Banco do Brasil e que a dívida precisava ser quitada o mais rápido possível, senão seria encaminhada ao cartório.

Acreditando ser verdade, o comerciante passou a fazer uma negociação com a golpista. Ela deu a opção do pagamento ser à vista, por três mil reais, ou em 12 parcelas de R$ 149. O homem optou pela segunda maneira de quitação e logo em seguida passou o número do cartão de crédito e a validade do mesmo, conforme orientação da falsa atendente de cobrança.

Algumas horas depois da ligação, a vítima recebeu uma mensagem da operação do cartão informando que havia sido feita uma compra no valor de R$ 21.528, dividida em 12 parcelas de R$ 1.794. O caso foi registrado na delegacia como estelionato e até o fechamento desta edição, nenhum suspeito de ter participado do crime havia sido encontrado pela Polícia Civil.

INTERNET

Já um segurança, de 28 anos, acabou caindo no golpe da falsa venda por meio de um site de compras na internet. O rapaz informou aos policiais civis que no último dia 25 de maio anunciou a venda de um aparelho celular, importado do Japão, por R$ 4.400.

Uma mulher, identificada como Pâmela, demonstrou interesse e a partir disso passaram a fazer a negociação por meio de um aplicativo de mensagens. Acontece que tudo não passava de um golpe, já que a estelionatária informou que faria o pagamento por meio de outro aplicativo do site de compra e venda.

Diante disso, o segurança acabou enviando o produto pelos Correios para o Guarujá, litoral paulista, mas não recebeu nenhuma quantia até agora. O homem entrou em contato com o referido site e foi informado que o e-mail usado e até mesmo o  suposto aplicativo de pagamento eram falsos.

O caso será investigado pelo terceiro distrito policial do município por meio de um inquérito. Os investigadores vão tentar, pelo endereço de entrega do produto, localizar a golpista.

você pode gostar também