BOLIVIANO É PRESO COM COCAÍNA PRESA AO COPRO

Um boliviano de 32 anos foi preso em flagrante no fim da tarde de quinta-feira (14), em Araçatuba, com embalagens plásticas contendo cocaína. Os objetos estavam presos ao corpo do pintor. O caso ocorreu na rodovia Marechal Rondon (SP-300).

De acordo com informações do boletim de ocorrência, policiais do TOR (Tático Ostensivo Rodoviário) faziam fiscalização de rotina na altura do quilômetro 543 da rodovia quando deram ordem de parada a um ônibus interestadual para fazer uma vistoria no interior do veículo.

Durante a fiscalização, as equipes notaram que o passageiro, identificado pelas iniciais B.M.D., natural de Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, apresentou certo nervosismo. Por esse motivo, os policiais decidiram abordá-lo e revistá-lo já na parte externa do ônibus. Os PMs perceberam que o suspeito estava com uma calça e uma bermuda. Na bermuda foram localizadas seis embalagens presas a um forro contendo cocaína.

Diante dessa situação, o boliviano recebeu voz de prisão e foi encaminhado até a Central de Flagrantes de Araçatuba, onde prestou depoimento. Ele informou aos investigadores que foi contratado por outro boliviano em Santa Cruz de La Sierra  por mil dólares para pegar o entorpecente em Corumbá, Mato Grosso do Sul, e levá-lo até Belo Horizonte, capital de Minas Gerais. O homem não soube informar a identidade do contratante.

O peso total de cocaína foi de quase três quilos. O acusado permaneceu preso em flagrante por tráfico de drogas e passou por audiência de custódia na manhã de sexta-feira (15) no Fórum do município. Ele continuou preso e foi encaminhado até a cadeia pública de Penápolis, onde deverá aguardar vaga em alguma unidade prisional da região.

Os familiares do indiciado foram avisados na Bolívia por telefone sobre a prisão. O Consulado da Bolívia no Brasil também já tomou ciência sobre a detenção e irá tomar todas as medidas cabíveis nesse tipo de caso. A Polícia Civil abriu inquérito pelo terceiro distrito policial de Araçatuba para dar andamento às investigações sobre o caso.

você pode gostar também