Caminhoneiros fazem carreata histórica e fecham ruas de Araçatuba

Araçatuba viveu na manhã deste sábado um dia atípico e histórico. Os caminhoneiros que estão estacionados no Posto Cacique, na Rodovia Marechal Rondon, fizeram uma carreata. O protesto, que percorreu importantes ruas de Araçatuba, recebeu o apoio de empresas e cidadãos comuns, que aderiram ao movimento. Manifestantes de Birigui também participaram do ato em Araçatuba. Embora o centro comercial ficou completamente congestionado e várias ruas fechadas, poucas pessoas se manifestaram contra o movimento. A maioria aplaudiu e expressava apoio aos participantes da carreata. Um experiente Guarda Municipal que trabalhava onbtem pela manhã revelou que jamais viu movimentação grande no município. O mesmo comentário foi feito por um aposentado que reside na área central. Ambos defenderam o movimento.

A Polícia Militar Rodoviária informou que os caminhoneiros saíram do Posto Cacique por volta das 9 horas. A carreata seguiu pela Rodovia Marechal Rondon e acessou a Rodovia Elyeser Montenegro Magalhães e depois, seguiu sentido aeroporto (trevo pé de galinha), chegando à Avenida José Ferreira Batista e depois a Rua do Fico. No percurso, os caminhoneiros receberam a adesão de vans e ônibus de transporte escolar, caminhões guincho, caminhões caçamba e vários outros veículos, incluindo carros de passeio com família.

Com trabalho da Polícia Militar Rodoviária e da Guarda Municipal para garantir a segurança no trânsito, a carreata deveria parar em frente à Havan, na Avenida Araçá. Porém, diante do elevado volume de participantes, com fila superior a três quilômetros, decidiram não parar e seguiram, acesso a Avenida Valdir Felizola de Moraes, Joaquim Pompeu de Toledo e depois a Brasília e Rua Luiz Pereira Barreto, chegando ao centro da cidade por volta das 11 horas.

Por volta de 10 horas, dezenas de caminhões e outros veículos saíram de Birigui e seguiram para Araçatuba, chegando por volra das 11 horas, aumentando ainda mais o volume de veículos que participavam da carreata. Depois de contornar a Praça Rui Barbosa, a carreata voltou à Avenida Araçá e seguiu sentido Valdemar Alves. Aos poucos, os participantes foram dispersando e os caminhões retornaram ao Posto Cacique.

MANTER A PARALISAÇÃO
Os caminhoneiros relataram à reportagem que vão manter a paralisação. Não tem data para terminar. Eles afirmaram que a luta “não é apenas dos caminhoneiros”. “Estamos lutando por um país melhor e mais justo”, disse um caminhoneiro que estava na na carreata e que também participou do ato no Terminal da Raízen na sexta-feira de manhã. De acordo com os caminhoneiros não há previsão de nova carreata.

Da Redação

você pode gostar também