Indústria abriu 350 postos de trabalho na região no mês passado

ARNON GOMES – ARAÇATUBA

Pela primeira vez, em um ano, a indústria regional registrou dois meses consecutivos de saldo positivo na geração de empregos. Em abril, fábricas de 34 cidades da região de Araçatuba criaram, juntas, 350 postos de trabalho.

Os números estão na pesquisa Nível de Emprego do Estado de São Paulo, referente ao mês passado, divulgada ontem pela Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), em parceria com a Ciesp (Confederação das Indústrias do Estado de São Paulo). De acordo com o levantamento, o saldo do emprego industrial na região em abril foi influenciado pelas variações positivas dos setores de celulose, papel e produtos de papel (3,99%), produtos alimentícios (2,80%) e máquinas, aparelhos e materiais elétricos (2%).

O volume de oportunidades abertas no território representou uma variação positiva de 0,78% na comparação com março. O percentual também superou a média estadual, que ficou em 0,44%. Segundo o estudo, neste ano, o acumulado chega a 2,09%, aumento de aproximadamente mil postos de trabalho. Porém, na soma dos últimos 12 meses, o índice é de -9,49%, o equivalente à queda de cerca de 5.050 empregos no período.

O resultado favorável do último mês também superou o registrado no mesmo mês do ano passado. “Quando comparados os meses de abril dos anos de 2017 e 2018, temos um cenário melhor, pois em abril de 2017 o resultado foi negativo em 0,21%”, diz trecho do relatório referente aos números da região de Araçatuba.

CAUTELA

Apesar da variação positiva, os números da região vistos com cautela pelo diretor regional do Ciesp, Samir Nakad. “O houve foi um breve sussurro, diante de tanta dispensa que aconteceu nos últimos meses”, afirma o dirigente. “Como a pesquisa deixa bem claro, foram alguns setores que empregaram. Parte deles, na verdade, com o objetivo de fazer ajuste, cobrir uma demanda, como os casos da produção de açúcar e a linha branca”, analisa.

Na avaliação de Samir, para haver uma retomada no setor, é preciso uma mudança no cenário econômico. “Uma mudança considerável, de fato, vai acontecer quando a economia encontrar um patamar. Daí, as fábricas poderão trabalhar nesse patamar”, completa o representante do Ciesp.

Mesmo com o pequeno avanço, o saldo ainda está muito abaixo dos apontados para o quarto mês no final da década passada, quando as variações positivas de abril oscilaram entre 7% e 15%.

De maio do último ano a fevereiro de 2018, a região acumulou uma sucessão de variações negativas.

ESTADO

No Estado, a indústria encerrou abril com a geração de 9,5 mil postos de trabalho. No acumulado do ano, o resultado também terminou com variação positiva, com 32 mil novas vagas (1,5%).

você pode gostar também