Edgarzinho é preso na Bolívia e Justiça brasileira decreta prisão preventiva

Edgar dos Santos Silva, o Edgarzinho, 50 anos, condenado por assalto e tráfico de drogas, foi preso no sábado passado (12), em Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia. Ele foi surpreendido em uma investigação sobre contrabando de armas de grosso calibre da Bolívia para o Brasil. Edgarzinho tornou-se conhecido pelo assalto à Protege.

De acordo com a polícia boliviana, outras duas pessoas foram presas com Edgar. Um homem, identificado como Jeferson, conseguiu escapar. Eles ainda teriam tentado subornar os policiais bolivianos com U$ 2 mil para evitar a prisão, sem sucesso.

Edgarzinho, que é de Araçatuba e apontado como um dos maiores assaltantes do Estado de São Paulo, havia deixado o sistema prisional paulista em abril deste ano, após conseguir um habeas corpus no STF (Supremo Tribunal Federal). A liberdade foi assinada pelo ministro Marco Aurélio Mello.

Após a liberdade, Edgarzinho seguiu para a Bolívia.

Quando ele foi detido no sábado, a polícia boliviana encontrou coordenadas geográficas que seriam pontos estabelecimentos para pistas clandestinas de pouso e decolagem de avião do tráfico.

Essa informação e a tentativa de suborno levaram a polícia boliviana a entrar em contato com a Polícia Federal e com a Polícia Civil de Araçatuba.

A Polícia Civil de Araçatuba, por meio da Delegacia Seccional, apurou que o Edgarzinjho tinha planos de estabelecer locais na Bolívia para o envio de cocaína e armas ao Brasil.
Com base em relatórios das policias dos dois países, a Justiça de Birigui decretou a prisão preventiva de Edgarzinho. A Interpol foi comunicada e o criminoso deverá ser extraditado para o Brasil.

Edgarzinho responde a um processo na Justiça de Birigui após ter sido preso em setembro de 2017 em uma chácara na zona rural da cidade com cerca de 30 quilos de maconha. Ele também foi condenado por assaltos e envolvimento com quadrilha especializada no tráfico de drogas no Estado de São Paulo.

A AÇÃO DA POLÍCIA BOLIVIANA
O Portal El Día, de Santa Cruz de La Sierra, informou que houve alerta quanto à entrada de Edgarzinho no país por Corumbá no dia 5 de maio supostamente para reconhecer um filho que tem com cidadã boliviana. Ainda de acordo com o portal, agentes do Centro Especial de Investigaciones Policiales (CEIP) mediante informações de inteligencia alertaram o seu ingresso em Santa Cruz com o objetivo de comprar armas de grosso calibre.

As investigações apontam que parte parte do arsenal estava destinado a uma temida organização criminosa que atua no Brasil. “Em um dos celulares sequestrados pelo Ministério Público foi encontrado video caseiro gravado em uma pista clandestina onde se observa uma pessoa de nacionalidade boliviana carregando um avião com droga e em seguida exige o pagamento.

A reportagem apurou que o ainda não teve início o processo de pedido de extradição. Porém, como a Interpol já foi comunicada do mandado de prisão preventiva, a expectativa é de que Edgarzinho permaneça preso em Santa Cruz de La Sierra. (Com informações de Regional Press e El Día)

Da Redação

você pode gostar também