Região pode ganhar seis polos educação a distância gratuita

ARNON GOMES- ARAÇATUBA

A região de Araçatuba pode ganhar, ainda neste ano, mais seis polos de educação a distância gratuita. O número equivale ao total de municípios classificados para a implantação da Univesp (Universidade Virtual do Estado de São Paulo). Conforme publicado ontem no Diário Oficial do Estado, em uma lista de 88 cidades paulistas, aparecem as seguintes prefeituras da região: Andradina, Braúna, Guararapes, Piacatu, Ilha Solteira e Murutinga do Sul.

A classificação, no entanto, ainda não é definitiva. Nessa terça-feira, venceu o prazo para a interposição de recursos e, nesta quarta, será homologado o resultado final, inclusive com as decisões recursais por parte do Estado. Feito isso, será assinado o termo de convênio dos municípios com o Governo de São Paulo, em data ainda a ser definida.

A expansão da Univesp foi defendida pelo governador Márcio França (PSB) durante sua primeira visita à região, há quase duas semanas, em entrevista ao jornal O LIBERAL REGIONAL. Caso esses municípios sejam confirmados, mais 16 cursos de ensino superior serão implantados de graça na região, considerando as seis localidades. Isso porque a quantidade de cursos é estabelecida de acordo com o número de habitantes de cada cidade.

Dessa forma, Braúna, Piacatu e Murutinga do Sul, que têm menos de 20 mil moradores, contariam, cada uma, com dois cursos de terceiro grau. Estas três praças poderão ter, assim, suas primeiras faculdades. Já Guararapes e Ilha Solteira, com população de 20 mil a 50 mil pessoas, ganharia três cursos. A maior fatia ficaria com Andradina, por se enquadrar na faixa de municípios com 50 mil a 120 mil habitantes. Lá, poderão ser implantados quatro cursos superiores na modalidade de ensino a distância.

De acordo com o edital de chamamento das prefeituras interessadas, a escolha dos cursos a serem implantados levará em contas as características das regiões administrativas e metropolitanas definidas pelo Estado onde cada cidade está situada. Entre os critérios a serem considerados, estão: Índice Paulista de Vulnerabilidade Social, Índice de Desenvolvimento Humano e Índice de Desenvolvimento da Educação Básica.

PRÓXIMOS PASSOS

Após a classificação, as prefeituras precisam preencher uma série de exigências para a assinatura de convênio com o governo estadual. O principal deles é definir um local para o funcionamento do polo, bem como a estrutura técnica. Os imóveis deverão ter condições de acessibilidade e possuir AVCB (Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros). O local deverá dispor ainda de sala de informática com 50 computadores ou notebooks e acesso livre à internet. Dentre as obrigações estabelecidas aos municípios estão a divulgação do processo seletivo, a realização das matrículas e a instituição do polo educacional por meio de decreto assinado pelo prefeito.

O Estado sugere que as administrações municipais implantem seus polos em Fatecs (faculdades de tecnologia) ou Etecs (escolas técnicas). Em Guararapes, por exemplo, a Prefeitura admite a possibilidade de uso do prédio da Etec para a implantação dos cursos. Caso os municípios contemplados não disponham das unidades de ensino profissionalizante, a sugestão é a utilização de uma escola pública ou prédio público adequado.

NÚMEROS ESTADUAIS

Hoje, a Univesp conta com 243 polos instalados em 203 cidades do interior paulista e 34 polos na Capital. Nos vestibulares do segundo semestre de 2017 e primeiro semestre deste ano, foram preenchidas quase 20 mil vagas, concorridas por quase 160 mil candidatos. “A expansão planejada para o ano de 2018, mediante o crescimento dos polos no interior do Estado, tem como objetivo consolidar a instituição como referência nacional no ensino público a distância”, diz o governo estadual, em nota.

você pode gostar também