Capsi completa um ano, com média elevada de atendimentos

O Centro de Atenção Psicossocial Infantil (CAPSi) completa um ano de atividade, depois de ter sido reestruturado e reinaugurado em 19 de maio de 2017. Neste período, foram prestados mais de 850 atendimentos e, atualmente, 180 crianças de todas as regiões da cidade recebem atendimento especializado.

Segundo Carlos Alberto Selis, enfermeiro responsável técnico pelo centro, 14 funcionários – entre psicólogos, terapeutas ocupacionais, assistentes sociais, enfermeiros, técnicos em enfermagem e psiquiatra, além de pessoal ligado à administração – prestam atendimento de segunda à sexta-feira, das 6h30 às 18h30. “São 12 horas oferecendo atenção às crianças, de forma a assegurar que os familiares possam exercer suas atividades profissionais com tranquilidade”, assegura Selis. “As crianças vêm para cá em horário alternado com a escola e todas estão matriculadas e comparecendo às aulas”, complementa.

O Capsi oferece atendimento individual, sempre que necessário, e grupos terapêuticos, que visam promover a integração das crianças. São oferecidas oficinas como as de culinária, mobilidade física, inclusão social, socialização e atividades da vida diária. “Também promovemos passeios terapêuticos e lúdicos, com atividades de recreação e culturais. São passeios mensais, que ajudam na socialização”, comenta Selis.

Para o responsável técnico pelo Capsi, a população tem aderido ao programa e buscado os serviços do centro. “Nós temos uma boa adesão, principalmente de morados dos bairros mais próximos, como o Água Branca, Umuarama e Santa Luzia. Nosso maior problema ainda é a questão do transporte, em regiões mais distantes como o São José, o Boa Vista e o Beatriz. Mesmo assim, temos crianças que são dessas regiões e comparecem ao centro”, afirma.

Capacitado para atender crianças e jovens de 0 a 18 anos, o Capsi hoje atinge a faixa de 8 a 17 anos, embora já tenha registrado pacientes com pouquíssima idade. “Já atendemos criança de 3 anos, aqui. Tudo depende da necessidade do momento, daquilo que a criança realmente precisa. E temos uma equipe técnica altamente capacitada para diagnosticar as necessidades de cada criança”, diz Selis.

Para ele, Araçatuba está no caminho para montar a sua Raps (Rede de Atendimento Psicossocial) de maneira segura e altamente preparada. “Temos condições de ter uma Raps da melhor qualidade. Estamos neste caminho e sabemos o que mais compromete a qualidade de vida de nossas crianças”, comenta. Lidando com as consequências do consumo e tráfico de drogas, desorganização familiar e abusos físicos e psicológicos, os profissionais do Capsi comemoram esse primeiro ano pensando em muitos outros. “Não dá para não se envolver. Temos pacientes de todas as faixas etárias e podemos ver sua evolução e o carinho com que muitos respondem ao que é oferecido aqui. São 12 horas por dia remando contra a maré, para oferecer novas oportunidades. E quando a gente consegue, é impulso para outros tantos anos pela frente”, diz Selis.

COMEMORAÇÃO

Para marcar a data, no dia 17 próximo serão realizadas atividades recreativas durante todo o dia. A abertura das comemorações acontece às 8 horas, com a presença de autoridades do município. Em seguida, haverá a apresentação de depoimentos de pacientes e, por fim, um show com o mágico Simsalabim e, no encerramento, apresentação do grupo de capoeira mantido pelo próprio centro. Ao longo do dia, serão oferecidas atividades recreativas e também guloseimas, como algodão doce e pipoca.

DA REDAÇÃO – Araçatuba

você pode gostar também