Prefeitura entrega primeiro certificado de Inspeção Municipal

Na tarde de quarta-feira (09), o prefeito Dilador Borges e representantes da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Agroindustrial (SMDA) entregaram o primeiro registro do SIM (Serviço de Inspeção Municipal) de Araçatuba à empresa Boi Gordo Carnes.

A SMDA, por intermédio do SIM, entrega este primeiro Certificado de Estabelecimento Inspecionado, ou licença de funcionamento, diretamente na sede da empresa, situada na rua do Fico, 906. O negócio foi fundado em 1995, por Luis Carlos Vitório e Rafael Silveira Vitório, e desde então atua no seguimento de carnes.

Segundo os empresários responsáveis, com a implantação do SIM em 2017, o estabelecimento encontrou uma oportunidade de negócios. Com a licença do Serviço de Inspeção Municipal, pôde se enquadrar na legislação e tornou-se fabricante de embutidos, atualmente beneficiando produtos de origem animal, transformando-os em derivados como linguiças, espetos, hambúrgueres e outros produtos por eles processados. “Com essa Licença podemos fornecer para outros estabelecimentos do comércio varejista dentro do município, aumentando assim nossas vendas”, conta Vitório.

Os proprietários procuraram o Serviço de Inspeção Municipal em Julho de 2017 e foram os pioneiros em estabelecimentos varejistas no município a requererem a Licença do SIM.

O SIM tem o objetivo de proteger a saúde da população, inspecionando os produtos de origem animal transformados e comercializados no município. atuando em açougues, peixarias, fábricas de embutidos, laticínios, queijarias, granjas avícolas e casas de mel. “Todo produto de origem animal, para ser comercializado, precisa estar rotulado ou carimbado, com informações sobre o fabricante e produtos, além do órgão fiscalizador. Produto não fiscalizado e sem procedência oferece risco à saúde da população”, conta Arnaldo Vieira Filho, assessor executivo da SMDA. “Os estabelecimentos que são inspecionados ganham melhor aceitação de seus produtos no mercado, agregando valor e gerando renda aos comerciantes e produtores rurais”, completa Arnaldo.

você pode gostar também