Esquadrilha da Fumaça vai comemorar os 107 anos de Birigui

A Esquadrilha da Fumaça da Força Aérea Brasileira irá se apresentar em Birigui no dia 9 de junho. A apresentação marca o início das comemorações dos 107 anos do município e dos 77 anos do Aeroclube de Birigui, onde as demonstrações de acrobacias aéreas serão realizadas.

A informação foi divulgada na Prefeitura de Birigui, onde o prefeito Cristiano Salmeirão recebeu o presidente do Aeroclube de Birigui, Munir Djabak, o capitão Barra, da Força Aérea Brasileira, e o vice-presidente do Circulo Militar de São Paulo, Brigadeiro do Ar Ivo de Almeida Prado Xavier.

“O número de admiradores de aviões, em especial da Esquadrilha da Fumaça, é muito grande. É com muito orgulho que formalizamos uma parceria com a Força Aérea Brasileira e com o Aeroclube de Birigui, que este ano completou 77 anos de ótimos serviços prestados ao município”, falou o prefeito Cristiano Salmeirão.

ATRAÇÕES
Visando abrir as comemorações dos 107 anos de Birigui (fundado em 7 de dezembro de 1911), a Prefeitura, a Força Aérea e o Aeroclube irão promover várias atrações no dia 9 de junho. A Esquadrilha da Fumaça se apresenta às 16h. Antes, porém, haverá diversas atrações no Aeroclube.

“A programação ainda será definida. A meta é realizar uma tarde familiar, com várias atividades aos que visitarem o Aeroclube de Birigui”, comentou o prefeito.

Em breve a programação do dia 9 de junho será divulgada pelos organizadores do evento.

A ESQUADRILHA DA FUMAÇA
A Esquadrilha da Fumaça originou-se pela iniciativa de jovens instrutores de voo da antiga Escola de Aeronáutica, sediada na cidade do Rio de Janeiro. Em suas horas de folga, os pilotos treinavam acrobacias em grupo, com o intuito de incentivar os Cadetes a confiarem em suas aptidões e na segurança das aeronaves utilizadas na instrução, motivando-os para a pilotagem militar. Em 14 de maio de 1952, foi realizada a primeira demonstração oficial do grupo. Após algumas apresentações, percebeu-se a necessidade de proporcionar ao público uma melhor visualização das manobras executadas. Com isso, em 1953, acrescentou-se aos NA T-6 um tanque de óleo exclusivo para a produção de fumaça. Foi assim que os Cadetes e o público, carinhosamente, batizaram a equipe de “Esquadrilha da Fumaça”. A primeira escrita foi a sigla “FAB”, nos céus da praia de Copacabana. Em 1955, a Esquadrilha passou a ter cinco aviões de uso exclusivo, com distintivo e pintura próprios. Diante do reconhecimento nacional e internacional, a Esquadrilha concretizou-se como instrumento de difusão da política de Comunicação Social do Comando da Aeronáutica, atingindo um lugar de destaque nos principais meios de comunicação dos países por onde passa.

Da Redação

você pode gostar também