Paulo Motooka é promovido a coronel e assume comando da Polícia Militar

O tenente coronel Paulo Augusto Leite Motooka, que comandava o 2º BPM/I, de Araçatuba, foi promovido a coronel, última patente da carreira militar. Com a promoção por merecimento, ele foi classificado para o comando do CPI 10 (Comando de Policiamento do Interior). O coronel Motooka vai substituir o coronel Carlos Alberto Machado, transferido para o CPI 3, de Ribeirão Preto. Motooka é o segundo araçatubense que chegou a coronel e assumiu o comando do CPI 10. O primeiro foi o Jaime Gardenal Júnior, hoje na reserva.

Paulo Augusto Leite Motooka nasceu em Araçatuba no dia 15 de agosto de 1969. Ingressou na Academia do Barro Branco em 1987. Ao concluir o curso, foi declarado aspirante a oficial PM em 1992, 2º tenente em 1994, 1º tenente em 1997, capitão em 2005, major em 2013, tenente coronel em 2016 e coronel em 2018.

Desde o ano passado, oficiais da PM de Araçatuba e mesma da reserva já esperavam a promoção de Motooka a coronel devido à sua trajetória dentro da corporação. A promoção poderia ter vindo no segundo semestre do ano passado. Porém, agora foi consumada, coroando uma carreira que já dura mais de três décadas.

ESTUDIOSO
Desde criança, Motooka sempre foi muito estudioso. Na polícia não foi diferente. No período de 2014 a 2015 fez o doutorado em Ciências Policiais de Segurança e Ordem Pública na Academia de Polícia Militar do Barro Branco (SP), e o título da tese foi “Aconselhamento Psicológico como Suporte Informativo e Emocional para recém-formados na Carreira Policial Militar”. Ao longo de sua carreira, fez vários outros cursos, como mestrado em 2011 e 2012, em Ciências Policiais de Segurança e Ordem Pública, Centro de Altos Estudos de Segurança “Coronel PM Nelson Freire Terra”, CAES, Brasil, com título: RAPPORT – Um vínculo entre comandante e comandado que fortalece o policiamento sob a concepção dos direitos humanos e promove a dissipação da subcultura policial.

Graduação em Ciências Policiais de Segurança e Ordem Públca. A sua formação inclui vários outros cursos e estágios de especialização, como tiro defensivo – Método Giraldi, em dezembro de 1997; Policiamento comunitário, em janeiro de 1998; Procedimentos em ocorrências com explosivos, em abril de 1999; tiro defensivo armas curtas, em setembro de 1999 e Multiplicadores de habilitação ao uso da pistola .40 S&W em janeiro de 2000.

O oficial Motooka teve intensa atividade operacional em todas as unidades em que serviu. Tudo isso o credenciou a chegar ao posto de coronel e assumir o posto de comando na região onde chegou, há mais de 20 anos, como tenente.

Antônio Crispim

você pode gostar também