Fundo Social apresenta Caoe a 43 municípios

A convite do Fundo Social de Solidariedade (FSS) de Araçatuba, primeiras-damas e presidentes do FSSs de 43 cidades da região administrativa de Araçatuba visitaram o Caoe (Centro de Assistência Odontológica à Pessoa com Deficiência). A visita teve por objetivo sensibilizar representantes da região e atrair doações para o centro, que presta assistência gratuita a aproximadamente 11.900 pessoas com deficiência mental/intelectual, associada ou não a outras deficiências.

Inicialmente​, o público convidado assistiu a uma videoconferência ao vivo de duas cirurgias que estavam sendo realizadas através de procedimento de sedação. Para esse tipo de cirurgia, é necessário o envolvimento integral de cinco profissionais: um cirurgião dentista, dois enfermeiros, pelo menos um auxiliar e um médico.

O vice-presidente da Unesp Araçatuba, João Eduardo Gomes Filho, explicou a situação atual do Caoe. “Com as mudanças que a universidade tem sofrido, a atividade que o Caoe desenvolve hoje pode não ser mantida futuramente. ​As redução do quadro de recurso financeiro faz com que a gente tenha que optar pelas atividades que são essenciais à universidade e isso prejudica o atendimento dessas pessoas do Caoe. Que nesse encontro possamos refletir como construir um futuro melhor para essas pessoas, promovendo cultura, desenvolvimento e inclusão de forma concreta na sociedade​, para que esses atendidos tenham o mínimo de cidadania”.

A supervisora do Caoe, Alessandra Marcondes Aranega, afirma que o centro já atendeu pacientes de 466 municípios do Brasil e até mesmo de outros países. “Nosso maior público são pessoas de outras cidades e é por isso que precisamos da ajuda de todos”.

Durante a videoconferência, a presidente do Conselho Deliberativo do FSS de Araçatuba, Deomerce Damasceno, indagou a respeito dos valores gastos pelo centro. Em resposta, Aranega disse que são gastos R$5 milhões ao ano com profissionais. O Caoe recebe aproximadamente R$4.800/mês do SUS (Sistema Único de Saúde) e R$160.000/mês da Faculdade de Odontologia da Unesp. No entanto, são utilizados R$150.000 com a empresa terceirizada de limpeza, o que compromete quase toda a renda cedida.

A presidente do FSS de Araçatuba, Assunta Curti, lembrou o caso de um senhor que foi encaminhado da Casa Bom Samaritano, da qual Assunta é fundadora, ao Caoe e teve total assistência para tratamento dentário. O paciente sofria de transtornos mentais.

Acompanhadas por profissionais da área, as primeiras-damas e presidentes de FSS conheceram toda a estrutura do Caoe. Também foram apresentados os principais serviços prestados, entre eles assistência odontológica multi e interdisciplinar às pessoas com deficiência, independente de condição socioeconômica, raça, cor, religião e nacionalidade; orientação psicossocial a familiares dos pacientes e desenvolvimento de ações socioeducativas envolvendo atividades culturais e de integração familiar e social; e servir como campo de ensino e de capacitação aos estudantes de graduação e de pós-graduação da UNESP e outras escolas públicas ou privadas.

você pode gostar também