Urnas de doações da Nota Fiscal Paulista voltam ao comércio

As urnas de doações da Nota Fiscal Paulista para entidades beneficentes estão voltando ao comércio de Araçatuba. Desaparecidas desde o fim do ano passado, as caixinhas retornaram depois de um decreto assinado pelo governador do estado de São Paulo, Márcio França. Durante esse período, o governo lançou um aplicativo para smartphone para doações exclusivamente feitas pelo celular. Apesar de ser mais rentável, a medida não agradou as instituições sociais do município, que preveem queda nas arrecadações por conta das mudanças. A partir de agora, o prazo foi estendido até o dia 31 de dezembro de 2018.

Segundo o governador, o sistema por aplicativo é mais rentável, evita intermediários e faz com que o destino final seja a própria entidade, mas nem todas conseguiram se adaptar. Por isso, o prazo foi ampliado até dezembro para evitar que as entidades tenham uma queda brusca nas doações.

Foi o caso do Hospital Neurológico Ritinha Prates, em Araçatuba. Nós últimos três anos, a instituição, que atualmente possui cerca de 60 pacientes internados, recebeu cerca de R$ 645 mil em doações pela Nota Fiscal Paulista. Com a mudança, a expectativa é de queda entre 70% e 90% no número recebido no segundo semestre deste ano. As equipes do hospital aproveitam o dinheiro para a manutenção do local, compra de medicamentos e até o pagamento do 13° salário de parte dos funcionários.

Já no Asilo São Vicente, também em Araçatuba, a situação é muito parecida. De acordo com o diretor Vitor Chacon, as doações da nota fiscal correspondem a 30% de todos os recursos da instituição. Ele percebeu que ainda muita gente não aderiu ao aplicativo, por isso também prevê queda na arrecadação a partir do segundo semestre de 2018. Apesar disso, ele acredita que pode haver uma compensação nos valores, mesmo com a baixa.

Pela doação em papel, as instituições receberão o teto máximo de 7,5% o valor da nota. Já nas doações realizadas diretamente pelo aplicativo da Nota Fiscal Paulista ou pelo sistema automático, com a indicação do CPF também pelo aplicativo, podem gerar uma receita de até 10 Ufesps (o equivalente a R$ 250,70) por cupom fiscal. Com isso, um cupom fiscal doado por essa sistemática gera a mesma receita de 100 documentos depositados em urnas”, complementou.

APLICATIVO

Com mais de um milhão de downloads do aplicativo oficial, nos dois primeiros meses deste ano, as doações somaram R$ 10 milhões, ou seja, três vezes mais do que o mesmo período de 2017. Além disso, com o uso do aplicativo e do sistema automático o número de pessoas que passaram a doar os seus cupons cresceu quatro vezes, comparado ao primeiro bimestre do ano passado.

Segundo o governo do estado, a modernização do programa proporcionou mais recursos para as entidades assistenciais, reduzindo os esforços e o custeio com o cadastro dos cupons, que no caso de algumas instituições, representavam mais de 50% da renda adquirida com o programa.

Vitor Moretti – Araçatuba

você pode gostar também