Capela de Santo Expedito é inaugurada 17 anos após início da campanha

O Bispo Diocesano de Araçatuba Dom Sérgio Krzywy presidiu no último sábado dia 21 de abril, a celebração de “Dedicação da Capela de Santos Expedito”, em Andradina. A cerimônia com 2 horas e meia de duração foi assistida por uma multidão dentro e fora do templo, onde foi instalado um telão. Esse procedimento litúrgico é realizado quando se faz a inauguração ou reinauguração dos templos religiosos Católicos. Somente o bispo, ou seu representante nomeado podem presidir essa celebração.

Estiveram presentes como concelebrantes o pároco da Matriz de São Sebastião a qual está subordinada a Capela, padre Sebastião Gonçalves, padre Sílvio Santos vigário da mesma paróqio, padre Rafael da igreja Nossa Senhora das Graças e o bispo Dom Sebastião da Diocese de Coroatá no Maranhão que estava visitando a diocese de Araçatuba. O seminarista Luiz Henrique da cidade de Andradina ( bairro Gasparelli ) foi apresentado à comunidade e anunciado que dia 18 de maio estará sendo ordenado Diácono, em celebração que será realizada em Birigui.

A Capela de Santo Expedito fica no bairro Santa Cecília, que hoje compõe o extremo leste urbano de Andradina, com mais de 8 mil habitantes. Quando tudo começou eram menos de 2 mil habitantes. A construção se destaca na paisagem urbana.

A campanha começou há 17 anos e o projeto ganhou amplitude, quando se percebeu que a devoção à Santo Expedito atraía sempre grande número de fiéis, inclusive de outras cidades e paróquias. O terreno foi ampliado e atualmente ele ocupa cerca de mil metros de área construída. O salão de eventos e toda igreja foram construídas dentro da nova legislação exigida pelo Corpo de Bombeiros, com acessibilidade, amplas áreas de saída para emergências e uma infra-estrutura de higiene de nível industrial na cozinha. Aliás foi com a venda de cachorro quente, frangos, espetinhos e pasteis que se captou a maior parte dos recursos. Grandes e generosas doações anônimas também compuseram o rol dos colaboradores.

O saudoso padre Orides Fassoni foi quem teve a primeira iniciativa, sendo logo seguido por diversos paroquianos, a maioria da comunidade São Paulo, do bairro piscina. Foi nos períodos de padre Orides, do padre Edgar e do atual padre Sebastião, que as obras tiveram avanço. O poeta e paroquiano Mauro Máximo, ao final da Santa Missa, agradeceu indistintamente todos aqueles que colaboraram com a construção daquele templo.

Dom Sérgio disse que a capela era o marco da fé, e que as obras apesar de bonitas e funcionais, jamais substituiriam a igreja de gente que se formou ao longo desses anos, numa experiência concreta da ação de Deus, da caridade e do compromisso de evangelização que deve ter todo cristão. (Pastoral da Comunicação)

Da Redação

você pode gostar também