Bandido se passa por agente da Vigilância e tenta assaltar casa

Uma tentativa de roubo à residência mobilizou diversas equipes da Polícia Militar no fim da tarde de terça-feira (17), em Araçatuba. Até o helicóptero Águia foi empenhado na ocorrência, no bairro Vila Bandeirantes.

De acordo com informações apuradas pela reportagem do jornal O LIBERAL REGIONAL, o crime ocorreu por volta das 17h na rua Torres Homem. Um rapaz desconhecido se passou por funcionário da Vigilância Epidemiológica da Prefeitura de Araçatuba e tocou a campainha da casa de uma idosa de aproximadamente 80 anos. Ela estava sozinha no imóvel no momento da ação.

A vítima foi até a garagem para atender o suposto funcionário. Ele disse que estava fazendo uma varredura em todas as residências do bairro, na tentativa de encontrar escorpiões. Foi nesse momento em que a mulher autorizou a entrada do homem. Ele anunciou o assalto logo em seguida e tirou uma faca da cintura. O criminoso invadiu o imóvel e fez a idosa como refém. Ele pedia a todo o momento por certa quantia em dinheiro, já que tinha informações de que a família estava com o valor escondido em algum cômodo.

A dona da casa negou as informações e foi trancada em um quarto. Enquanto isso, o bandido vasculhou alguns cômodos, mas acabou fugindo logo em seguida sem levar nada. Minutos após a tentativa de roubo, diversas viaturas da PM estiveram no endereço e chegaram a isolar a rua, na tentativa de encontrar o ladrão. O helicóptero Águia sobrevoou a área, mas até o fechamento desta edição não havia localizado nenhum suspeito. Apesar do susto, a idosa não ficou ferida.

 

POSICIONAMENTO

A Prefeitura informou, por meio de nota, que todos os seus servidores são identificados com crachás, que devem ser portados durante todo o período de trabalho. “ Importante ressaltar que os agentes da Vigilância Epidemiológica não fazem visita às residências. Este tipo de abordagem pode ser feita somente por três grupos de servidores. Os agentes da Vigilância Sanitária, por exemplo, além de portar o crachá devem, ainda, apresentar uma carteira preta que possui o brasão de identificação do órgão com identificação pessoal do portador”, destacou.

Ainda segundo a administração municipal, também podem, eventualmente, irem às residências os agentes de controle de endemias e os agentes comunitários de Saúde, que além do crachá, ainda possuem uniformes específicos com brasão do órgão que representam.

você pode gostar também