Menina de 5 anos morre depois de ser picada por escorpião

Araçatuba registrou, no último fim de semana, a primeira morte neste ano envolvendo ataque de escorpião. A vítima foi Priscila Claudenice de O. da Silva, de 5 anos, na tarde de sábado.

Ela teria sido picada em um dos pés na casa da avó, um dia antes. Passando muito mal, a menina foi levada ao Pronto-Socorro Municipal e, depois, encaminhada à Santa Casa, de acordo com nota divulgada ontem pela Prefeitura de Araçatuba.

Ainda segundo o município, foi realizada a notificação do acidente por escorpião e administrado o chamado soro antiescorpiônico. A garota foi internada no sábado por volta das 10h40. Em seguida, teve uma parada cardiorrespiratório e veio a falecer.

COMOÇÃO

A reportagem tentou falar ontem com familiares da crianças, mas não conseguiu.

A morte causou forte comoção na Emeb (Escola Municipal de Educação Básica) Roseli de Oliveira, onde Priscila estudava. Na página da instituição de ensino, no Facebook, foi postada a seguinte mensagem: “É com grande pesar que a Emeb Roseli de Oliveira comunica o falecimento da nossa aluna da etapa 2, Priscila Claudenice de O. da Silva, sala 4. Lamentamos a perda e desejamos conforto e paz aos entes queridos”.

PREOCUPANTE

Números divulgados ontem pela administração municipal revelam uma situação preocupante na cidade em relação a ataque de escorpiões. No ano passado, o total de casos foi 44,25% maior do que o registrado em 2016. Ao todo, em Araçatuba, 2017 registrou 502 ocorrências, enquanto, no ano anterior, 348.

O ano de 2018, por sua vez, acabou de sair do primeiro trimestre e a quantidade de registros já chega perto da registrada em 2016: 209. No ano passado, houve um óbito, enquanto em 2016, nenhum.

AÇÕES

Ainda em sua nota, a Prefeitura de Araçatuba destacou ações realizada a fim de evitar os ataques. Citou trabalhos de combate feitos por agentes controladores de vetores e também por agentes comunitários de saúde. “Também realizamos trabalhos educativos em creches, escolas e empresas através do Núcleo de Informação, Educação e Comunicação do Centro de Controle em Zoonoses”, diz a nota oficial.

Da Redação – Araçatuba

você pode gostar também