Ato pela prisão de Lula leva centenas de manifestantes à avenida Brasília

Centenas de pessoas participaram no início da noite de terça-feira (03) da manifestação “Lula na cadeia”, em Araçatuba. Os manifestantes carregavam bandeiras do Brasil e alguns chegaram a pintar o rosto para pedir a prisão do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva. Duas faixas nas cores verde e amarelo foram estiradas no alto, por meio de dois guinchos. Apesar de ter corrido nos bastidores da política a informação de que partidários do ex-presidente tentariam impedir o ato, a manifestação transcorreu de forma pacífica desde às 18h30, horário em que teve início.
Por conta do protesto, o trânsito nas imediações do Fórum da Justiça Estadual teve que ser impedido. Os manifestantes ficaram parados na avenida Brasília, entre o Fórum e a rotatória da avenida Pompeu de Toledo.
Um dos organizadores, o advogado Felipe Luís de Oliveira, manteve a confiança de que Araçatuba foi colocada no mapa. “Todos estão indignados com o que está acontecendo no Brasil e essa foi uma forma que encontramos de colocar a cidade em destaque contra a corrupção”, informou.
Já o vereador do PSDB, Almir Fernandes Lima , que também organizou o ato, criticou o STF (Supremo Tribunal Federal). “Esse é o momento mais importante depois do impeachment da Dilma. Estão querendo trazer à tona o que já estava sacramentado pelo próprio STF. Querem mudar a regra do jogo”, complementou.
Crianças, jovens, pais e idosos compareceram ao ato na noite de ontem. Muitos carregavam faixas e entoavam o grito “Lula, ladrão, seu lugar é na prisão”. O auxiliar de escritório Jorge da Silva colou diversos adesivos na bicicleta dele para protestar. “A gente não aguenta mais tanta roubalheira, tanta corrupção. Queremos ver o Lula julgado e preso”, disse.
Outros decidiram trazer os netos. Foi o caso de Luciana Barros e o tio dela, Vicente Miranda Soares, de 89 anos. Eles fizeram questão de trazer as duas crianças de sete anos para acompanhar o momento. “Os meus netos devem ver isso para começarem a enxergar a política do Brasil. Eu aproveite e vim protestar por melhorias na educação e saúde”, contou a técnica de enfermagem.
No dia último dia 22 de março, a maioria dos ministros do STF decidiu conceder uma liminar ao ex-presidente que impede a prisão dele até o julgamento do mérito do habeas corpus preventivo, que deve ocorrer hoje. Na semana passada, o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), segunda instância da Justiça Federal, manteve a condenação de Lula a 12 anos e um mês de prisão.

você pode gostar também