Momento de festa em meio à batalha contra o câncer

A rotina de tratamento de todas as sextas-feiras, com quimioterapia e outros procedimentos dolorosos, foi interrompida ontem no CTO (Centro de Tratamento Oncológico) da Santa Casa de Araçatuba por uma festa de páscoa, com direito a coelhinho e muita música.

O grupo Atamor e a Rede Feminina de Combate ao Câncer presentearam as 50 crianças atendidas no centro com uma manhã diferente. Foram distribuídos ovos de chocolate, bombons, lanches e refrigerante.

“Todas as sextas-feiras a pediatra onco-hematologista atende as crianças em tratamento e indica a quimioterapia para aquelas que estão aptas a receber. E como elas já estariam aqui, surgiu a ideia de fazer essa festa para deixar mais leve esses dias de tratamento que são tão difíceis”, explicou a enfermeira supervisora da oncologia, Bruna de Castilho Barducci Marçal.

Bruna também explicou que 50% das crianças tratadas no CTO sofrem de leucemia, o tipo de câncer mais comum na infância e juventude.

O fundador do Atamor, Ícaro Lopes Morales, contou que a festa foi organizada pelo grupo de voluntários cadastrados no grupo, que arrecadaram os presentes para as crianças. “Nós temos hoje 280 voluntários, que nos ajudam presencialmente nas ações aqui no CTO e em orfanatos e asilos, e pessoas que nos ajudam com as doações. Nosso objetivo é levar esperança para essas crianças e suas famílias”, contou.

Para a representante da Rede Feminina de Combate ao Câncer, Rachel Foizer Sgarbosa, ver a alegria das crianças e das famílias que passam os dias enfrentando as dores do tratamento é a recompensa para todo o trabalho.

“Ver a alegria deles é muito bom! Eles são tão inocentes, não sabem o tamanho do problema que estão vivendo e o que podemos proporcionar a eles é essa alegria durante o tratamento”, afirmou Rachel.

O trabalho da Rede Feminina atende pacientes do CTO, fornecendo auxílio com os medicamentos, cestas básicas, suplemento alimentar e ajuda financeira para viagens de pacientes que precisam complementar o tratamento em cidades como Barretos, São José do Rio Preto, Marília e Jales. Ao todo 1.600 pacientes de Araçatuba e região são atendidos pela rede.

“O paciente passa pelo médico e nos traz a receita. Nós fazemos uma guia e ele retira os remédios gratuitamente na farmácia. Nós gastamos mensalmente mais de R$ 20 mil em medicamentos e conseguimos esse dinheiro através de eventos, doações e mensalistas”, explicou Rachel.

Além da ajuda material, as voluntárias também distribuem sorriso e conforto através de palavras de incentivo para os pacientes e seus familiares. “O carinho que a gente tem com eles faz toda a diferença e a maior recompensa que temos é sentir que realizamos nosso desejo de agradar a Deus em primeiro lugar e depois poder fazer um afago para essas pessoas durante a enfermidade”, concluiu Rachel.

Karen Mendes

você pode gostar também