Avião cai em cemitério durante pouso no aeroporto de Araçatuba

Um avião de pequeno porte caiu a poucos metros da pista do aeroporto Dario Guarita, em Araçatuba, na tarde de quinta-feira (22). O piloto Nilson Soares Ferreira ficou ferido e foi encaminhado a um hospital particular da cidade. A idade dele não foi divulgada.

O acidente ocorreu por volta das 14h30 próximo à via de acesso Olegário Ferraz. De acordo com informações apuradas pela reportagem do O LIBERAL, a aeronave Cessna, modelo 210, de prefixo PR-COW, saiu de uma fazenda em Terra Roxa, Paraná, a cerca de 600 quilômetros, e pousaria em Araçatuba quando ocorreu a queda. O avião é de propriedade do filho do piloto, identificado como José Luis Soares Ferreira.

O ACIDENTE

Testemunhas contaram que a aeronave voava em baixa altitude e acabou atingindo uma plantação de cana-de-açúcar, depois batendo no alambrado do cemitério Jardim da Luz e parando em uma área verde. A asa esquerda e a hélice ficaram danificadas com o impacto no chão. A aeronave ainda se arrastou por aproximadamente 30 metros. O piloto procurou ajuda no aeroporto, foi socorrido e encaminhado a um hospital particular da cidade. De acordo com a assessoria de imprensa da unidade hospitalar, ele sofreu escoriações na cabeça e antebraço, foi medicado e até o fechamento desta edição passava por exames complementares. Não havia previsão de alta médica.

O helicóptero Águia, da Polícia Militar, chegou ao local do acidente minutos depois da queda, mas a vítima já não estava mais lá. O capitão da corporação disse à reportagem que ainda é muito cedo para apontar as causas do acidente, mas a pane seca, quando não há combustível, foi descartada em um primeiro momento, já que havia vazamento de querosene. “A primeira coisa que fizemos foi retirar a bateria do avião, para evitar o risco de explosões”, complementou.

Logo em seguida, outras viaturas da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros chegaram e isolaram a área. Equipes da Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) também compareceram ao cemitério e verificaram que o combustível vazava do lado direito da asa. Os socorristas foram orientados a jogarem água com espuma para evitar algum tipo de incêndio. O capitão Ibrahim, do Corpo de Bombeiros, responsável pelos procedimentos de segurança, disse que tudo foi feito para manter o isolamento seguro até a chegada das equipes da Aeronáutica. “Esse procedimento teve que ser feito, porque qualquer faísca que cair aqui no local pode ocasionar um incêndio. Por esse motivo, orientei a minha equipe a jogar espuma e preservar o local até a chegada dos investigadores”, explicou.

REGULAR

De acordo com a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), a aeronave foi fabricada em 1978 e tem capacidade para levar até cinco passageiros. O Certificado de Aeronavegabilidade estava em ordem e irá vencer no dia 21 de novembro de 2022. Já a Inspeção Anual de Manutenção (IAM) também estava regular e venceria no dia 22 de fevereiro de 2019.  Por meio de nota, a Anac informou que o monomotor estava apto a voar e esclareceu que o piloto Nilson Soares Ferreira está cadastrado na agência e possui habilitação válida.

INVESTIGAÇÕES

O jornal O LIBERAL também entrou em contato com a assessoria de imprensa do Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos), o qual informou que equipes do Seripa 4 (Quarto Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos) já estão a caminho de Araçatuba para começar a investigar o acidente. A previsão é que elas cheguem na manhã desta sexta-feira (23).

Segundo o órgão, o primeiro passo a ser tomado chama-se “Ação Inicial”, na qual os investigadores iniciam as medidas preliminares, normalmente realizadas no local de uma ocorrência aeronáutica, de acordo com técnicas específicas, e por pessoal qualificado e credenciado, tendo por objetivo, a coleta e/ou confirmação de dados, a preservação de indícios, a verificação inicial de danos causados à aeronave, ou pela aeronave, e o levantamento de outras informações necessárias ao processo. “A investigação conduzida pelo Cenipa tem o objetivo de prevenir que novas ocorrências com as mesmas características ocorram”, informa a nota.

É nessa fase também que os técnicos fotografam toda a área, tiram peças do avião, caso necessário. Não há um prazo previsto para o término e divulgação do laudo que apontará o que pode ter causado o acidente.

você pode gostar também