Dois municípios da região completam 53 anos de emancipação

Nesta quarta-feira dois municípios da região estão completando 53 anos de emancipação política e administrativa: Nova Independência e Itapura, ambos na região de Andradina. Embora emancipados na mesma época, os dois municípios têm histórias completamente diferentes. Itapura nasceu durante a Guerra do Paraguai quando o governo brasileiro decidiu instalar colônias navais às margens do Rio Tietê para impedir um susposto avanço das tropas de Sola Lopez. Já Nova Independência teve origem como pousada existente na estrada que ligava Araçatuba ao Porto Independência, no Rio Paraná, uma das poucas travessias para o então estado de Mato Grosso. Hoje, aos 53 anos, as duas cidades têm na atividade agropecuária e principal fonte da economia. Os dois municípios foram criados pela mesma lei, a 8.092, de 28 de fevereiro de 1964.

Itapura: 160 anos de história e muitos desafios superados
Em 1858, o Brasil, Argentina e Uruguai se preparavam para a guerra contra o Paraguai, de Solano Lopez. Temendo que as tropas paraguaias pudessem tentar entrar no Brasil pelos rios Paraná e Tietê, o Império decidiu construir colônias militares (estabelecimento naval) em vários pontos do principalmente onde havia queda de água, o que obrigaria as tropas a saírem do rio. Assim nasceu a Colônia Militar de Itapura, próximo aos saltos de Itapura (em tupi-guarani, salto das pedras) e Urubupungá. Hoje os dois saltos estão submersos pelo lago da Usina Souza Dias (Jupiá), hoje submersos pela represa de Jupiá. O lago inundou também grande parte da cidade, restando poucas edificações. Outra cidade foi construída.

Com o fim da Guerra do Paraguai, a colônia perdeu a importância e foi abandonada. Restou apenas o forte, encontrado em ruínas no início do século 20. O avanço da ferrovia parecia dar novo impulso à região, mas a incidência de malária e a construção da variante, passando por Andradina, levaram à remoção dos trilhos.
O povo de Itapura já pertenceu aos municípios de São José do Rio Preto, de Penápolis e Monte Aprazível. Em 1924 foi incorportada a Monte Aprazível com o nome de Novo Oriente e a sede foi transferida. Em 1938, Novo Oriente foi elevada a município com o nome de Pereira Barreto. O Distrito de Itapura voltou a ser criado em 1959, com sede no antigo povoado e território desmembrado do Distrito de Bela Floresta.

Itapura foi elevada a munico pela Lei Estadual nº 8092, de 28 de fevereiro de 1964, desmembrado de Pereira Barreto, constituído do Distrito Sede. A instalação foi no dia 22 de março de 1965. Porém, o aniversário é comemorado no dia 21 de março. Completa 53 anos.

Sobrado palácio itapura (5).JPG

 

Nova Independência: vocação na produção de alimentos
As insformações são de que uma pousada para boiadeiros na estrada construída no início do século passado, ligado Araçatuba ao Porto Independência, no Rio Paraná, teria dando início ao povoado. Mesmo sem estrutura, muitas famílias foram se fixando ao longo da estrada, dedicando-se ao cultivo das terras. Todavia, somente em 1943 foi caracterizada a formação do povoado, pós a doação do terreno para seu patrimônio, por Modesto Junqueira. Devido a influência em sua formação, o núcleo urbano tomou, desde os primeiros tempos, a denominação de Nova Independência.

Deve-se a João Theodoro Batista, reconhecido como fundador, as ações pioneiras para a implantação da cidade, sendo o responsável pelo loteamento dos terrenos. Ainda em 1943, foi celebrada a primeira missa campal e construído o primeiro prédio, de propriedade do comerciante Pedro Viana.

A iniciativa da Prefeitura de Andradina em construir uma estrada, iniciada em 1944, ligando esta cidade a Nova Independência, constituiu seu principal fator de progresso, visto que possibilitou a abertura de novos sítios e fazendas e conseqüente desenvolvimento da agricultura, onde predominava o arroz, milho, banana e fumo. Também a pecuária tomou novo impulso.

O município foi criado pela Lei Estadual nº 8092, de 28 de fevereiro de 1964, desmembrado de Andradina.

COMEMORAÇÃO
O feriado do aniversário, por força de decreto municipal, foi transferido para o dia 23 de março. A comemoração será no dia 24, com desfile cívico às 18 horas, às 20h30 – Orquestra de Violeiro de Andradina e às 23 horas – show com Fernando e Renan. Todos os eventos serão na área central da cidade (praça de alimentação).

Antônio Crispim

você pode gostar também