Professora da rede municipal volta de curso nos EUA com a missão de ser Agente Multiplicadora

Após 45 dias efetivos em curso na cidade de Springfield, Missouri – Estado Unidos da América, na Missouri State University, a professora de Língua Inglesa, Juliana Gargantine Ariza da Cal, da Escola Municipal Presidente “Médici”, de Três Lagoas, está de volta à cidade com conhecimento e planos de ser uma Agente Multiplicadora.

Segundo a professora, ter a oportunidade de fazer um curso internacional foi a realização de um sonho, com a responsabilidade de representar a Cidade e a categoria em uma Universidade como a Missouri State University.

“Todo professor que trabalha com língua estrangeira sonha em fazer um curso de imersão e ter contato com a realidade da língua. Estudamos pelos livros, temos aulas com professores brasileiros que falam inglês, mas quando você tem a oportunidade de estar no berço da língua é completamente diferente”, explica.

Para Juliana, “um curso como este é de extrema importância na vida de qualquer profissional, pois todos precisam de aprimoramento e aperfeiçoamento. Todas as vezes que o profissional busca capacitação na área da educação o ganho é indescritível, principalmente para os nossos alunos. Esse curso trouxe para a minha vida, além do conhecimento mais profundo da língua inglesa, um conhecimento de mundo”, comenta.

Além da parte técnica, Juliana destaca o conhecimento da estrutura organizacional do ensino; das prioridades do ensino e até mesmo os conteúdos de grade curricular. “Foi interessante observar que as crianças desde pequenas estudam sobre política, direitos humanos, direitos civis. Os Estados Unidos hoje é uma potência em termos de educação e não à toa, pois realmente os conteúdos tem significado e valor para a vida”, explica.

MISSÃO E PLANOS
Juliana conta que as crianças ficaram muito orgulhosas de saberem que a teacher delas foi para os Estados Unidos e isso é algo para motivá-las a não deixarem de acreditar em seus sonhos.

“Os alunos estão muito orgulhosos e curiosos para saber como foi a viagem. Querem saber o que eu comi, se eu vi neve, quais os passeios que fiz e passo de sala em sala mostrando as fotos e vídeos sempre deixando a mensagem que se eu consegui ir para os Estados Unidos eles também conseguem. Que eles podem tudo por meio da educação se empenhando e se dedicando aos estudos. Eu só tive essa oportunidade pela minha profissão que depende exclusivamente dos meus alunos, então é uma troca. Eu os tenho e eles me têm e quero usar tudo o que aprendi em benefício deles”, conta.

Ser uma Agente Multiplicadora organizando encontros periódicos com professores da língua inglesa para repassar todo o conhecimento, materiais e técnicas que teve durante as semanas de curso estão nos planos da professora.

“Eu tive um apoio muito grande da nossa secretária de Educação Maria Célia que não colocou nenhuma burocracia para que eu estivesse neste curso. Então, nada mais justo que eu me tornar uma agente multiplicadora deste conhecimento para somar com meus colegas da educação”, explica.

A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO
Para Juliana, a educação é uma ferramenta de melhoramento do mundo e é por meio dela que a população se conscientizará que é agente transformadora. “Nós, professores, não podemos desistir da educação; não podemos desistir de estudar; não podemos desistir de aprender e buscar ferramentas para melhorar a educação, o ensino e a aprendizagem no nosso país. O conhecimento nos dá condições de refletir sobre a vida para tomarmos decisões e nos tornarmos pessoas mais conscientes dos nossos direitos e deveres”, conclui.

CURSO
Dezessete vagas foram disponibilizadas para cada estado do país; 21 inscritos somente no Estado de Mato Grosso do Sul e apenas Juliana representando Três Lagoas.

A oportunidade foi possível graças a uma parceria entre a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) do Brasil, por meio de sua Diretoria de Relações Internacionais (DRI), Diretoria de Formação de Professores da Educação Básica (DEB) e a Comissão para Intercâmbio Educacional entre os Estados Unidos da América e o Brasil (Comissão Fulbright), programa esse que busca capacitar professores de língua inglesa da educação básica em efetivo exercício nas redes públicas de ensino e estreitar as relações bilaterais entre os dois países.

Para ser aprovada Juliana precisou passar por etapas que incluíam prova documental/de títulos; exame de proficiência, uma medição da fluência e habilidade em língua inglesa. Juliana foi aprovada para ir junto aos grupos intermediários para conseguir aperfeiçoar a compreensão, fala, leitura e escrita da língua inglesa.

O curso intensivo de seis semanas realizado pela professora Juliana contou com atividades acadêmicas e culturais, com objetivos específicos de valorizar os professores que atuam nas redes públicas de educação básica; fortalecer o domínio das quatro habilidades linguísticas – compreender, falar, ler e escrever em inglês -, compartilhar com os professores metodologias e ensino, aprendizagem e avaliação que estimulem a participação do aluno, oferecer uma experiência in loco em história e cultura dos Estados Unidos, para que isso se torne parte do currículo do ensino do inglês no Brasil; estimular a parceria com universidades e professores americanos visando futuros intercâmbios de professores e de alunos entres os dois países.

Da Redação

você pode gostar também