Andradina celebra Dia da Mulher com Seminário de Políticas Públicas

A Prefeitura de Andradina celebrou o Dia da Mulher neste dia 8 de março com muitas ações e atividades, destaque para o para Mulheres que reuniu no auditório da Praça do CEU das Artes, personalidades femininas do município para discutir sobre o tema.

A secretária de Promoção a Cidadania e Direitos Humanos, Paola Kotaki, organizou o evento que também reuniu a secretária de Promoção e Assistência Social, Elaine Vogel, representantes da Secretaria de Saúde, de Assistência e Promoção Social, a presidente do Fundo Social de Solidariedade, Mirtes Kobayashi, que neste ato representou a prefeita Tamiko Inoue e a coordenadora de Políticas para Mulheres, Fátima Calister.

Uma roda de debate foi montada para que agentes de saúde (profissional essencial em trabalhos de prevenção na comunidade, pelo contato diário e direto com as famílias), membros do Conselho Municipal de Defesa da Mulher e demais mulheres da sociedade, elaborassem um documento com o relato de cada uma, com indicativos de mudanças e melhorias que servirão como base para um planejamento de ações mais diretas e eficazes em defesa da mulher.

“Pretendemos dar continuidade a esse trabalho de prevenção em busca de erradicar a violência contra a mulher. A ideia principal é que as mulheres se sintam acolhidas e seguras para denunciar qualquer tipo de violência. Trabalhamos a questão da prevenção, mas estamos de braços abertos para ajudar em todas as situações e esse tipo de debate é importante exatamente para promover socialização entre as mulheres e principalmente para que saibam que não estão sozinhas”, disse Paola.

O evento contou com palestra da professora de história e escritora, Mariana Esteves que falou sobre mulheres, violência e resistência na história, da advogada do Creas, Joice Helen Pereira palestrando sobre o atendimento no Anexo de Defesa da Mulher e ainda da delegada da DDM (Delegacia de Defesa da Mulher), doutora. Michelly da Silva Milliorini.

“Somente acompanhando a rotina da Delegacia para ter conhecimento de como a sociedade masculina é violenta e desrespeitosa. Infelizmente são poucos os casos que são denunciados. Nossa maior preocupação, são com aquelas que inventam desculpas para esconder uma agressão”, alertou a delegada.

Da Redação

você pode gostar também